domingo, maio 10, 2009

X-Men Origins: Wolverine

Antes de começar gostaria de salientar que não me considero um purista da BD e com esta afirmação pretendo dizer que não sou da opinião que uma adaptação cinematográfica de uma determinada BD deve ser idêntica à mesma, até considero que alguns filmes perderam com isso. Portanto nunca me incomodou que este Wolverine não tivesse 1,60m de altura ou fosse mais peludo. Sou daqueles que adorou ver o excelente trabalho de Hugh Jackman a encarnar um dos mais populares mutantes da Marvel. Dito isto não quer dizer que não dê comigo, por vezes, a discordar de algumas decisões, preferindo na minha opinião caminhos seguidos na BD, mas penso que (quase) sempre me consigo abstrair do livro ao ver o filme pois tratam-se de duas formas de arte distintas e que não devem ser comparadas lado a lado. Por isso quando digo que preferia que o Gambit tivesse sotaque francês, até porque mantiveram o nome dele como Remy LeBeau, não quero com isso referir-me à qualidade da obra que infelizmente é fraca, mas obviamente por outras razões.
Depois do sucesso que conquistou a trilogia "X-Men", este é o filme que pretende contar a origem de Logan, um dos membros mais activos e queridos nos filmes mencionados, ou melhor, este é o filme que pretende contar como Wolverine "recebeu" o seu esqueleto de Adamantium, pois a sua vida antes deste feito é muito pouco explorada contendo apenas uma breve sequência inicial sobre a sua infância que é retirada do livro "Origem" escrito por Paul Jenkins. A história de Jenkins é uma das mais belas sobre este personagem e aqui foi claramente subaproveitada, o que é verdadeiramente uma pena, mas como referi acima o objectivo deste filme nunca se prendeu com esta mas sim outra história e nesse sentido o início consegue em poucos segundos e de uma forma muito simples dar-nos uma breve ideia sobre de onde ele veio.
Feita a introdução ficamos a saber que Logan tem um irmão, Victor Creed e que ambos nasceram no séc. XIX (na minha opinião esta foi uma óptima decisão, pois em filme não havia tempo para complicar e uma ligação fraternal entre estes dois sempre me fez todo o sentido). Creed e Logan são dois mutantes muito similares que possuem exactamente os mesmos poderes variando apenas no tipo de garras. Uma vez que ambos contêm um factor de cura são capazes de sobreviver a terríficos ferimentos e envelhecem a uma velocidade extremamente reduzida, por isso não é de estranhar que durante os créditos iniciais nos mostrem ambos a combater na guerra civil Americana, na 1º e 2º guerra mundial (alguém andou à procura do Capitão América?) e na guerra do Vietname, uma vez que sobreviveram a todas. A grande diferença entre estes dois é que ao contrário de Logan que procura manter sempre o seu lado humano intacto, Creed abraçou com "unhas e dentes" o animal que há em si e por isso ao longo dos anos a distância entre os dois é cada vez mais notória e pouco a pouco os personagens vão-se afastando. Durante a guerra do Vietname são sentenciados à morte por fuzilamento, devido aos actos violentos de Creed que matou friamente um oficial superior ao este o impedir de violar uma jovem rapariga. O "problema" é que não importa a quantidade de cartuchos que despejem nestes dois pois no fim eles irão sempre levantar-se.
William Stryker é um oficial Americano que conhece muito bem o que os mutantes são capazes de fazer e considera que têm muita utilidade no mundo se forem devidamente controlados, isto é, controlados por ele. Stryker encontra-se a reunir uma equipa especial e quando tem conhecimento das capacidades extraordinárias destes dois irmãos não hesita em adicioná-los à sua equipa que conta já com Wade Wilson (Deadpool), John Wraith, David North (Agent Zero, que também já foi conhecido por Maverick na BD), Frederick J. Dukes (Blob) e Bradley (Bolt).
Com o tempo Logan vai cada vez mais abominando as actividades assassinas desta equipa e por isso decide afastar-se. Já Creed tem aqui a sua profissão de sonho, ou seja, a possibilidade de viver constantemente numa carnificina.
Passado seis anos vemos Logan a viver nas montanhas do Canadá com Kayla Silverfox e a trabalhar como lenhador. É um homem apaixonado a viver uma vida simples e pacífica. Mas Stryker e Creed ainda não se esqueceram dele. Stryker encontra-se de momento a fazer testes em vários mutantes e precisa de alguém com um factor de cura como o de Logan para testar uma das suas mais recentes ideias, a de cobrir o esqueleto humano com o metal adamantium, tornando essa pessoa virtualmente indestrutível. A vida pacífica de Logan tem assim os seus dias contados.
Não deixei de sentir uma certa pressa em colocar o adamantium em Logan, quase como se o personagem não fosse tão interessantes sem essa particularidade, o que é falso.
Uma vez que já todos conhecemos bem Hugh Jackman como Wolverine a grande surpresa do filme para mim foi sem dúvida Liev Schreiber que consegue criar um Creed soberbo nunca esquecendo o seu lado animalesco e sanguinário. É curioso que durante todo o filme nunca o apelidem de Sabretooth, talvez para não se fazer a ligação com o personagem de "X-Men" que utiliza o mesmo nome e que não foi devidamente explorado (provavelmente na altura ninguém pensava em fazer um filme sobre a vida de Wolverine), pelo menos espero eu que seja isso ao invés de os tornarem no mesmo personagem que seria a meu ver um erro crasso.
Por falar em nomes, reparei que começam o filme a chamar o Wolverine de James mas rapidamente ele fica conhecido por Logan sem darem qualquer tipo de explicação. Este facto fez-me pensar porque eu sei que o seu nome de baptismo é James Howlett e que ele o muda mais tarde para Logan, no entanto, quem não está familiarizado com esta história deve provavelmente assumir que o seu nome é simplesmente James Logan.
Se Brian Cox tinha interpretado um Stryker diabólico em "X2", Danny Huston em nada lhe fica atrás pegando no papel sempre com um grande nível de qualidade.
Infelizmente o filme não consegue acompanhar a qualidade dos actores acima mencionados e esta história maioritariamente sobre a procura de vingança de Wolverine torna-se, com muita pena minha, em algo enfadonho e com pouca profundidade. Onde está o humor e a imaginação característicos de "X-Men" e "X2"? Provavelmente foram-se embora com Bryan Singer.
Taylor Kitsch não deslumbre, mas cumpre no seu papel de Gambit, um dos mutantes mais pedidos para aparecer no Cinema e que ainda não o tinha feito. Visto surgir nesta linha temporal dificilmente fará parte dos X-Men no Cinema, mas como aparentemente teremos sequelas de "Wolverine" acredito que ainda podemos esperar mais deste personagem.
Penso que não é surpresa para ninguém que Wolverine perde a memória, facto bem conhecido na trilogia "X-Men". Na BD são-lhe colocados implantes de memória durante a operação cirúrgica em que recebe o adamantium. Neste filme tal não seria possível uma vez que precisavam do personagem tanto com o metal como com a sua memória intacta e por isso uma nova forma de lhe eliminar as recordações era necessária. Estando num Universo onde existem telepatas não deixo de sentir que a opção tomada para esta acção foi bem parvinha.


SPOILERS

Não queria terminar sem comentar as partes que me deixaram mais triste neste filme, mas para isso tenho de avisar que o que estou prestes a dizer contém spoilers.
Novamente sobre a perda de memória que basicamente consistiu em atirar uma bala de adamantium à testa de Wolverine. Eu sei que uma forte pancada pode causar amnésia, se a pode causar em alguém com um factor de cura já é questionável, agora pior é assumir que essa pancada irá a 100% fazê-lo. Andou Stryker a praticar este acto antes de o usar em Wolverine? Não me parece. Não era muito mais credível ter um telepata a limpar-lhe a mona? O próprio filho do Stryker (que aparece no filme) poderia fazê-lo.
E o que dizer do vilão final? Que horror! E não digo isto por preferir de longe o Deadpool da BD. O personagem foi completamente reformulado para o filme e isso não me traria quaisquer problemas se tivesse sido bem feito. Agora o personagem não transmite carisma nenhum e pior se lhe saem duas lâminas enormes dos braços como é que ele consegue dobrar os cotovelos quando elas estão retraídas? Mas pronto isto já sou eu a ser chato.

21 comentários:

Bongop disse...

Fui ver, e passei um bom bocado! E é isso que eu procurava quando fui ver o filme. Claro que há sempre cenas dentro do fantástico que mesmo assim continuam inverosímeis, tipo as espadas a saírem dos braços do Deadpool... LoL

looT disse...

Sobre isso claro que já sou eu a "gozar" não é para ser levado a sério. Porque sim tenho pena que o filme não seja melhor eu gostei mesmo muito dos dois primeiros X-Men e este recorda-me mais o terceiro capítulo que é mais fracote.

No entanto "X-Men Origins: WOlverine" é muito melhor que um daredevil ou ghost rider entre tantos outros (o spirit por exemplo, li algures que gostaste tanto que saíste da sala a meio eheh).

Mas espero que façam muito melhor quando pegarem no filme do Magneto :D

Abraço

celtic-warrior disse...

O filme é extremamente feio, isto dito por uma pessoa que nem sequer foi vê-lo ao cinema. Gostava que a Marvel se concentrasse mais em fazer filmes porreiros do que cena abomináveis como esta.

Diabba disse...

Vocês são todos uns chatos!

O filme é giro! Não percebem que tem que atingir um publico-alvo que, não são como vocês que percebem imenso de BD? A maioria da população nunca folheou um livro de BD quanto mais saber a verdadeira história do Wolverine... (se é que existe uma "verdadeira história" no mundo da BD)

Ng fala do nalguedo lindo do Logan? hihihihihi só por isso vale a pena ver o filme!! hihihihi

(saindo a saracotear a cauda)

enxofre

Nota: amanhã vou publicar a minha critica a este filme, seus chatos!

looT disse...

Celtic: ainda assim a Marvel tem bem pior como disse. Deviam ter seguido mais o exemplo do "Iron Man" (pegando em algo recente). Um filme que agradou às maiorias, leve e divertido e que honra em todos os aspectos Tony Stark e companhia.

Diabba: É evidente que somos chatos eu disse isso precisamente para as últimas linhas não serem levadas muito a sério :P

De qualquer das maneiras eu não apreciei o filme estritamente como apreciador de Cinema. Falo muito de BD no texto porque conheço e gosto de fornecer essas informações e fazer comparações mas não foi por isso que o achei fraco, se nunca tivesse pegado numa BD isso não ia mudar.

O filme "history of violence" é completamente diferente da BD e no entanto é genial, mas claro é Cronemberg é outro nível eheh

Pelo que percebi em relação ao "Wolverine" foi a FOX que quis andar a meter o dedo e pronto :(

Fico a aguardar pelo teu comentário sobre o filme :P

Gonçalo Trindade disse...

A Fox controla muito os seus realizadores, acredito que aqui tenha sido um bocado isso :/. Não me dás grande vontade de ir ver o filme :p. Enfim, primeiro Star Trek, depois talvez este...

Abraço

looT disse...

Gonçalo Star Trek é muito melhor vai ver!!!

abraço

na outra banda disse...

ainda não vi o filme, mas acompanhei trailers e algumas imagens publicitárias que não encantaram.
a franquia tornou-se forte de mais e arriscaram ao trazer um realizador pouco familiar a este universo, mas o povo quer ver hugh jackman e se divertir.
foste bastante cuidadoso no teu texto, mas alterar a bd "origem" assumindo como certo o laço de sangue entre com o "dente de sabre"...torço o nariz. mas hei de ver, em casa, quando sair o dvd :)

Fernando Ribeiro disse...

Ainda não posso comparar ao Star Trek porque ainda no o vi. No entanto, acredito que seja bem melhor que este X-Men Origens: Wolverine. O filme é muito fraco, impõe uma data extensa de personagens que não estão lá a fazer nada e os efeitos especiais são muito fracos. Pelo que percebi também, daquilo que tenho ouvido, é que existem coisas bem diferentes relativamente à bd.

Abraço

Fifeco disse...

O filme não é de todo perfeito. Gostei bastante da primeira hora mas a partir daí cai a pique. As sequências de acção são algo recompensadoras apesar de por vezes caírem no exagero. Em suma, não foi tão mau quanto pensei que seria revelando-se um projecto mediano com alguns valores interessantes.

Abraço

cube disse...

eu não sigo BD "de perto", fui vendo os filmes e, claro está, via os desenhos animados! li a Origem do wolverine, e o que esperava era um filme mais cativante, fazendo juz à personagem e a todo o enredo.

looT disse...

na outra banda: é verdade que na "Origem" nunca confirmam que o Sabretooth aparece. E apesar de o Dog ser muito parecido com ele quando adulto para mim não é o sabretooth (porque não curou a cara). Eu apostava no John Howlett o irmão mais velho de James que "aparentemente" morreu. As marcas na mãe do James mostram que o seu irmão tinha um lado animal como o dele e podia muito bem ser o sabretooth. Mas novamente nada confirmado.

No entanto como disse no texto na BD há espaço para complicar estas coisas e no filme não. E como eu sempre gostei da ideia de estes dois serem irmãos, mais do que o sabretooth ser pai dele como já foi insinuado no passado, achei uma boa escolha.

Fernando: Por acaso houve momentos em que os efeitos especiais me desiludiram um pouco. quanto ao Star Trek é bem melhor tens mesmo de ver.


Fifeco: Mas mesmo o início não me convenceu, agora é verdade que há muita coisa pior por aí, mas tenho pena, porque havia potencial para muito mais.

Cube: ora nem mais, mas como te disse pelos trailers já suspeitava que não ia ser nada de especial.

QUEIROZ disse...

Para tirar o desgosto de Wolverine digo que Star Trek é a pedida. Já temo por Homem Aranha 4. Acho que boicotar os filmes da Fox é uma obrigação.

Valeu Loot.

looT disse...

Sim Star Trek deixa-nos com um sorriso no rosto vale bem a pena :)

syrin disse...

Não sabia que os superpoderes do Wolverine incluíam o poder de ter o cabelo sempre imaculadamente penteado. Pois se ele sai do tanque onde lhe puseram o adamantium todo molhado, e na cena seguinte não só está com o cabelo seco, como também perfeitamente penteado.

E o Gambit pá, é completamente idiota? Então foi raptado, conseguiu fugir e depois, ao ver dois inimigos (Sabretooth e Wolverine) a lutarem um contra o outro, em vez de fugir resolve interromper-los para ir chatear o Wolverine? WTF???

E a cabeça do Deadpool, que depois de decepada, não só continua a deitar os raios do Cyclops, como também vai a descer em espiral de forma a destruir o silo nuclear. Sim, porque como toda a gente sabe, uma cabeça quando cai não vai a direito, vai à volta!

Enfim... este filme não é mau, é pior que mau. Precisava de um caderno para apontar todos os erros/momentos inacreditáveis desta história, que assim é difícil - eram tantos que já me esqueci de metade. Para a próxima vou precavida para o cinema com um bloco e uma caneta.

Acho que vou rever o Ironman para ver se esqueço este filme rapidamente.

Oh well, pelo menos o Hugh Jackman continua muito comestível.

looT disse...

Por acaso nem reparei que o Wolverine usava gel extra forte.

Também podes ir ver um "Daredevil" para este não parecer tão mal, mas acho que prefiro a tua escolha de ir ver o "Iron Man" :)

bjs

syrin disse...

Não, não, o Daredevil não. Dói demais, é a minha personagens não X-Men favorita. Tadinho do Daredevil, que não merecia aquilo que lhe fizeram. Sigh...

looT disse...

Ele não merecia não, é das personagens mais interessantes da Marvel.

S7alker disse...

Concordo com a tua crítica.
Sinceramente, não gostei mt do filme. Lá está, conheço, embora vagamente, a história do Logan, mas depois de ver o Iron Man, uma pessoa fica com a ideia que, com um pouco de esforço, é possível fazer coisas decentes e com um apelo vasto.

Excelente blog, já agora.

looT disse...

o "Iron Man" é uma excelente prova de que filmes de super heróis podem ser muito bons.

Obrigado :)

Abraço

Anónimo disse...

Nada supera o filme do Watchmen (na minha opinião)