segunda-feira, dezembro 17, 2007

Origem

Criado por Len Wein e John Romita Sr. teve a sua primeira aparição no número 180 do “Incrível Hulk”em Outubro de 1974. Surgiu como um super-agente Canadiano com a missão de travar a destruição provocada pelo Hulk e pelo monstro Wendigo. Este mutante baixo e arrogante, cedo ganhou reputação, não demorando muito a unir-se ao mais famoso grupo de mutantes da Marvel, os X-Men, e conquistando mais tarde o seu próprio título, algo nunca alcançado antes por um membro do grupo. Hoje em dia é um dos mutantes mais amados da banda desenhada, sendo reconhecido pelas suas famosas garras e esqueleto de adamantium, bem como os seus sentidos apurados e factor de cura. Os seus amigos conhecem-no por Logan, mas o resto do mundo pode tratá-lo por: Wolverine.
Devido à sua capacidade de regenerar tecidos a grande velocidade, foi raptado e escolhido para participar no projecto “Arma X”, uma experiência que tinha como objectivo cobrir os seus ossos com um metal indestrutível de nome adamantium, tornando-o inquebrável. Durante este processo as suas memórias foram manipuladas tornando o seu passado um completo mistério, inclusive para o próprio. Sabe-se porém, que é muito mais velho do que aparenta, fruto do seu factor de cura capaz de lhe retardar o envelhecimento e que combateu na Segunda Guerra Mundial ao lado do Capitão América.
Editado pela Devir em Portugal, este é o primeiro livro a retratar a verdadeira origem de Wolverine, respondendo a várias questões colocadas ao longo dos anos: Quem ele é? Onde nasceu? E qual o seu nome?
Paul Jenkins, Joe Quesada e Bill Jemas trazem-nos um argumento maduro e profundo que juntamente com a arte de Andy Kubert (desenho) e Richard Isanove (cor) nos proporcionam uma obra digna de qualquer colecção de banda desenhada, com pormenores sublimes, como a magnífica cena de caça entre Wolverine e uma matilha de lobos a decorrer ao “som” do poema “The Tiger” de William Blake.
A “Origem” remete-nos para o Canadá em finais do século XIX, na mansão de uma das famílias mais abonadas da época, os Howllet. Sempre mantidos numa aura de mistério em relação à verdadeira identidade de Wolverine, acompanhamos a estória de três crianças: Rose uma órfã acolhida pelos Howlett, James o herdeiro da família vítima de inúmeros problemas de saúde e Cão o filho do jardineiro Thomas Logan, cuja aparência não passa despercebida de tão similar que é com a de um Wolverine adulto.
Cão, vítima de maus-tratos por parte do seu pai alcoólico, vai tornando-se cada vez mais agressivo e violento, não demorando muito até entrar em conflito com James por causa da atenção de Rose. Com o tempo a sua expulsão da mansão torna-se iminente e o seu pai furioso com a decisão decide tomar vingança pelas próprias mãos. Nesta terrível noite manchada de ódio, nada mais voltará a ser como antes, com segredos a serem revelados e a morte de um ente querido, o “animal” conhecido por Wolverine irá finalmente “despertar”.
Uma das coisas positivas em a “Origem” é que não necessita ter qualquer tipo de conhecimento prévio sobre a personagem, para poder ser entendido e apreciado. É claro que existem sempre “prendas” ao longo da narrativa para os fãs, mas nunca são informações essenciais na compreensão da estória e passam despercebidas a todos os que desconhecem a sua fixação por ruivas ou o seu passado samurai, por exemplo.
Apesar de muita coisa ter sido deixada em entrelinhas para ser analisada e descoberta, a “Origem” não aborda a vida do personagem até aos dias de hoje, muitos anos permanecem por contar, mas isso fica para um próximo livro.

Publicado originalmente em Rua de Baixo (Dezembro de 2006) por José Gabriel Martins (Loot)

6 comentários:

maurobindo disse...

Adorei este livro e tenho de relê-lo. A cor foi algo que me conquistou logo de início. É simplesmente fantástica. Recomendo a sua leitura.

_Loot_ disse...

concordo é um livro fantástico, já o emprestei algumas vezes e nunca tive reclamações :)

celtic-warrior disse...

Na altura gostei de ler, o Kubert ainda para mim um bom desenhador, mas agora duvido que fosse gostar de lê-lo de novo.
As cores do Isanove são de facto muito boas, mas o desenho não encaixa bem, na minha opinião. Se tivesse sido o próprio Quesada a desenhar ficaria muito melhor.
O argumento sim é bom, Jenkins a mostrar o que vale :)

_Loot_ disse...

Eu adorei o argumento, todo o mistério à volta da personagem e depois seguir a sua cominhada é fantástico.

Quanto aos desenhos eu até acho que combinam e há la pormenores fabulosos :)

ArmPauloFer disse...

Muito interessante e desconhecia isto. O Wolverine sempre foi uma personagem cuja origem esteve sempre envolta em grandes mistérios, havendo apenas breves partes conhecidas. Deve ser um bom livro realmente.

Loot disse...

É sim, se gostas da personagem acho que vais adorar. Tem lá várias referências ao que o Wolverine é hoje e a história é muito boa.

Aquela passagem em que se usa William Blake é qualquer coisa.