quarta-feira, novembro 21, 2007

Beowulf

"Beowulf" é um poema épico anónimo escrito algures entre o século VIII e XI.
Este épico tem início nos finais do século V e conta a estória de Beowulf um guerreiro Geat em busca de glória, que juntamente com os seus bravos guerreiros pretende salvar uma aldeia Dinamarquesa dos terríveis ataques que tem sofrido por parte de um monstro chamado Grendel.
Mas Grendel é mais do que um típico monstro, é o fruto de uma relação de luxúria e ganância, fruto da eterna tentação que faz os Homens venderem a alma em troca de glória e riqueza.
Após a morte de Grendel os ataques não param e Beowulf terá agora de enfrentar a mãe do monstro em um conflito mais espiritual do que físico, obrigado como outros antes dele, a tomar uma decisão que para sempre alterará o curso da sua vida.
Uma das grandes atracções deste filme é o formato em que nos é apresentado, ou seja, existe a possibilidade de visualizar este filme em 3D e se puderem optar é este o formato que aconselho. O 3D não é de longe uma tecnologia recente (apesar de ter sofrido melhoramentos ao longo dos anos), mas também não é comum. Eu pessoalmente nunca tinha visto um filme neste formato e por isso a curiosidade em ter uma experiência do género era enorme.
O filme é também de animação utilizando a técnica motion capture que Zemeckis já tinha experimentado em "Polar Express", mas elevando-a a outro nível neste filme.
O argumento é de Roger Avary e Neil Gaiman, este último um escritor por quem nutro um enorme respeito e admiração.
No entanto "Beowulf" para mim não cumpriu as expectativas. Gostei do filme, alguns momentos de animação são fantásticos e a experiência em 3D é sem dúvida muito interessante com momentos em que me encontrei a desviar de flechas, mas no final não pude deixar de sair da sala com a sensação de que soube a pouco em termos de desenvolvimento da estória.
Nunca é de mais lembrar que "Beowulf" pode ser uma obra recente no cinema, mas já existe há muitos anos e tem influenciado várias gerações no mundo do fantástico, inclusivé um dos grandes senhores do género, Tolkien.
Durante o filme enquanto observava Ray Winstone como o valente Beowulf, não podia deixar de me lembrar de Gerard Butler como Leónidas em 300 e como seria vê-lo a ele interpretar esta personagem, coincidência ou não, a verdade é que ele já o fez na adaptação de 2005 desta obra de nome "Beowulf & Grendel".
Para finalizar, penso que vale a pena ir ver este filme a uma sala de cinema, nem que seja pela experiência diferente que proporciona, mas não tenho dúvidas que daqui a uns anos quando estiver a falar de filmes que adoro este será um daqueles que não me irá passar pela cabeça.
Agora afastando-me um pouco do filme, pergunto-me se já que esta técnica de filmagem é utilizada em alguns jogos da PlayStation 3, porque não usar isto com o formato 3D também?

14 comentários:

Menphis_Child disse...

Tenho de ver se tenho aqui um cinema com 3D...estou curioso, mas não estou com muita fé que o encontre.

_Loot_ disse...

É pena, porque é uma experiência nova e engraçada ver isto em 3D.

Mas pelo que percebi a moda do 3D está a pegar e o que não vão faltar é oportunidades para ver filmes neste formato, nomeadamente o "Nightmare Before Christmas" que estou a fazer figas para que chegue até cá.
Se isto tiver sucesso de certeza que mais salas vão começar a aderir a isto.

Não sabia era que os bilhetes ficavam mais caros, está mal...

Luís disse...

Pois ficam...1.80€ mais caros. Mas ficas com uns óculos novos:). por acaso estou curioso em relação a este filme, se bem que animações não são o meu tipo de filme, mas o nome de zemeckis e a perfeição técnica que ao que parece foi atingida com beowulf, provavelmente valem a ida ao cinema.

abraço cinéfilo

maurobindo disse...

Gostei do filme, apesar de ter ficado a sensação de que mais podia ter sido feito, no que ao enredo concerne.

E sim, Beowulf tinha parecenças a mais com o Leónidas de "300"... Nas falas o moço parecia o Gerard Butler, sem tirar nem por. Mas valeu pelo 3D, que apesar de mais caro (cacete!) vale a pena.

_Loot_ disse...

Luís: Não diria que a perfeição técnica foi atingida, mas anda lá muito perto.
Agora estamos em uma altura em que está a estrear muita coisa que apetece ver, é complicado gerir, mas por toda a experiência que foi este "beowulf" acho que vale a pena ver ;)

Mauro: Concordo, também gostei desta nova experiência, mas por acaso tive desconto no bilhete :P (mas valia a pena na mesma).
O Beowulf tinha um complexo de narciso que o Leónidas não tinha pois fartava-se de repetir o nome dele, só faltava começar a falar na 3º pessoa como o Jardel.

_lamy_ disse...

Já agora onde são as salas 3D? :P

_Loot_ disse...

Cascais Shopping e penso que no alvaláxia também. São as que sei :P

_lamy_ disse...

Também já fui ver... achei bem fraquinho... Tudo muito previsivel...

Curti é que os Reis iam mudando mas a rainha ficava sempre a mesma... "Ah e tal quando eu morrer ficas com o trono e com a rainha... e tua pra foda". E a gaja la ia girando os reis todos! Lolol

É mais pela mística do 3D que do resto...






P.S.: Ahhhhh e os meus óculos foram só mais €1.50 e não €1.80 como disseram em cima! :D

_Loot_ disse...

A Rainha só esteve com dois Reis, não exageres.

E o que achaste daquele final? Houve traição ou nem por isso? Deu-me a sensação que ficou algo no ar.

_lamy_ disse...

Só dois porque a história só passou por 2reis... mas já ia a caminho do 3º! :P

Entõa no final a gaja ja se ia aprontar para malhar noutro! Lolol
Mas como este já era velho e não era tom "gostoso", não sei!:P

_Loot_ disse...

Eu fiquei com a sensação que se calhar o amigo já o tinha traído, afinal de contas com a morte do beowulf ele seria Rei e aquela troca de olhares no fim foi suspeita...

_lamy_ disse...

Epá, não sei!! não me ocorreu nada disso! senão pq motivo é que ele o tentava salvar?! arrependimento?!

Eu acho que a troca de olhares foi a bruxa que já se estava a preparar para se fazer ao bife...

maurobindo disse...

Mas já alguém leu o épico original?

_Loot_ disse...

Lamy: Ele só o tenta salvar depois de ele ter caído e estar sem um braço, mas sim arrependimento acho que no fim se arrepende. Mas pode nãos er nada disto, no entanto deu-me essa sensação.

Mauro: Eu não, aliás só soube da existência deste épico no Verão quando li pela primeira vez sobre este filme, nem sabia que já existiam outros filmes.