quarta-feira, janeiro 02, 2013

Wolverine: Madripoor


O nono volume da colecção "Heróis Marvel" é dedicado a Wolverine, aquele que de entre os X-Men se destacou mais e que por isso mesmo ganhou a sua própria série a solo. Estava ansioso por chegar a este volume, pois foi nesta fase de "Madripoor" que eu conheci pela primeira vez este mutante com garras a saírem-lhe dos punhos e que se apelidava de Caolho.

O Wolverine é uma personagem fascinante e desde que surgiu pela primeira vez nas páginas do Hulk, seria uma questão de tempo até conquistar definitivamente os fãs. Uma questão de tempo e de Chris Claremont também pois claro, nome responsável por vários títulos dos X-men onde Logan figurou e brilhou. Posteriormente, quando os X-men foram dados como mortos para o mundo e viviam em clandestinidade, Claremont encontrou a solução que procurava para ter um título de Wolverine a solo. Durante esta fase Logan iria em determinados momentos teleportar-se - graças ao mutante Teleporter - até Madripoor onde teria as suas aventuras sem os X-Men.

Madripoor, capital de um principiado a sul de Singapura, é uma cidade fascinante onde a riqueza do séc. XXI se encontra lado a lado com a pobreza mais profunda do séx. XVIII. Nunca uma cidade foi tão díspar entre as suas classes, aliás, em Madripoor classe média é coisa que nunca se ouviu falar, e cuja existência não passa de um mito.

Neste volume temos as primeiras aventuras de Wolverine, nesta fase, escritas pelo já mencionado Claremont e desenhadas pelo também grande John Buscema. Apesar de em algumas vinhetas achar que Buscema poderia ter tido mais alguma atenção a algumas personagens, o seu trabalho em "Madripoor" é fascinante e remete-me para os meus primeiros anos de leitura da Marvel. Este "Madripoor" podia ser uma colecção aparte, não há uma história em particular que dá título ao volume, temos aqui o inicio da sérieonde outros volumes poderiam ser lançados a continuar a colecção.

A título negativo, o facto de não se terminar um arco narrativo. Algo que poderia vir num "Madripoor 2" por exemplo. Talvez ainda faltassem muitos comics e por isso não se podia preencher mais este "Madripoor", é uma decisão compreensível quando sabemos qual o objectivo do volume, ainda assim se há coisa que dá pena na BD é ficar a meio de algo.

4 comentários:

André Azevedo disse...

Gabriel,
Este arco ficaria completo se fossem incluídas as 22 pág. do nº 6, mas como na versão “original” espanhola isso não aconteceu, aqui também os editores decidiram, erradamente, fazer o mesmo.

Abraço

Loot disse...

Só por 1???

Isso ainda dói mais, o Graduação dos X-Men tem mais páginas que este por isso podiam tê-la acrescentado.

Talvez não tivessem permissão, de qualquer das formas, e isto vale para a colecção espanhola, esta decisão equivale à célebre frase "morrer na praia".

Abraço e obrigado pelo info

Optimus Prime disse...

Pois mas se fores a ver o Woverine Classic da Marvel acaba ai,se não tivesse o Marvel Comics Presente até acho que podiam editar os 2 volumes num só(não sei se acaba em aberto),mas isso são opçoes editoriais duvidosas,muito presentes na 1a serie (Vingadores,Nick Fury).

Loot disse...

Sim, mas isso foi o início, faz sentido que esteja incluído. Os capítulos eram lançados com menos páginas, por isso devia ser um teste à personagem.

Só esses seriam poucos daí a inclusão dos outros comics. chato é terminar sem concluir um arco :S