segunda-feira, julho 14, 2008

Optimus Alive 10 de Julho 2008

Finalmente chegou o grande "Optimus Alive". O cartaz dispensa apresentações sendo um dos mais poderosos deste ano (a meu ver o melhor mesmo), recebendo excelentes críticas no dentro e fora do país.
No entanto houve alguns azares, nomeadamente o cancelamento dos "Cansei de Ser Sexy" e dos "Nouvelle Vague", mas não foi por isso que a festa murchou.
Vou colocar algumas das fotos e vídeos que tirei ao longo destes dias. Infelizmente a minha máquina não é muito boa e só consegue filmar um minuto de cada vez. Vou também aconselhar para quem estiver interessado a dar uma vista de olhos no Já Cheiro o Sámadhi que está carregado de fotos (vou até "roubar-lhe uma ou duas" que não cheguei a tirar) e vídeos do evento.

À entrada somos muito bem recebidos por uma banda a tocar em cima do portão. Uma ideia mesmo muito interessante e é impressão minha alguns membros eram dos Ramp? Nomeadamente o vocalista?
Depois de uma entrada muito lenta estávamos finalmente no recinto.
Para além dos concertos existiam outros interesses, nomeadamente uma exposição de Cartoon do "Guarda Ricardo" que falarei mais tarde quando escrever sobre o terceiro dia, uma tenda do Batman e o espectáculo "Optimus Oasis By The Do Lab".

Imagem retirada do Já Cheiro o Samádhi

Começando pela tenda do Batman, foi uma verdadeira desilusão. Não haviam produtos nenhuns à venda e apenas era possível concorrer aos bilhetes da ante-estreia através do bluetooth do telémovel, que eu não tenho.
Apenas ofereceram uma carta do Joker e para quem estava interessado podia ver trailers, previews e entrevistas dentro da tenda (não era o meu caso).
Mas nem tudo era aborrecido no que toca ao Batman, pois existia uma coisa chamada "Psycho Swing" que para quem andou parece ter sido bem divertido.
A ideia era dar impulso suficiente para conseguir dar uma volta de 360º.
Podem ver um vídeo que gravei com a Cube a andar. Para a próxima ela prometeu dar a volta completa.
O que eu acho mais piada neste vídeo é a música dos "Kalashnikov" como banda sonora.



Kalashnikov

Começaram a tocar quando estávamos a entrar no recinto. É um projecto que não tenho seguído minimamente e um concerto que não vi com toda a atenção, pois até perdi a subida do Fernando Ribeiro dos "Moonspell" ao palco.
Muitos palavrões, política e guitarra eléctrica serviram para entreter e anunciar que hoje era um dia para "guerrilheiros".




Optimus Oasis By The Do Lab

Um jardim místico como foi apelidado e muito bem pela organização. Um espaço com música e muita água que serviu para refrescar o corpo. Pois no dia 10 o calor era imenso.
Além disto era o local onde os "Lucent Dossier Vaudeville Cirque" apresentavam o seu espectáculo.

Galactic

A banda seguinte no "Palco Optimus" foram os Galactic. Não conhecia nada do seu trabalho apesar de já terem editado vários álbuns. Estavam um bocado fora do contexto dentro deste cartaz e faria mais sentido ter por exemplo os "Vampire Weekend" neste palco. No entanto do pouco que tive oportunidade de ver, gostei dos seus ritmos de soul e funk e é um projecto a investigar.




Sons Of Albion
Correndo para o "Metro on Stage" ainda vimos um pouco da actuação dos "Sons of Albion" banda do filho de Robert Plant dos Led Zeppelin. Uma actuação recebida de forma muito morna por parte do público, muito provavelmente porque estávamos todos à espera dos "Vampire Weekend".



Vampire Weekend

Aqui começaram as decisões difíceis pois ao mesmo tempo dos "Vampire" tocavam os "Spiritualized". Escolhemos a banda que conhecíamos melhor e recebemos uma excelente prestação. A banda de Nova Iorque foi muito bem recebida e isso foi notório nos próprios elogios do vocalista ao público português.






The National

Mais uma escolha a ser feita, National? ou MGMT? São géneros diferentes e independentemente de gostarmos de ambos há sempre um estilo que nos corre mais nas veias. Por isso aqui a escolha não foi difícil, andava há meses ansioso para os ver.
Ainda tinham três bandas à sua frente por isso já sabia que não iam tocar muito tempo.
era interessante no entanto a ideia de os "The National" tocarem durante o "Por do sol", até Matt Berninger brincou com isso quando perguntou se o sol já se tinha posto.
Gostei do facto de terem alternando entre canções melódicas e energético. Adorei ver Padma Newsome sempre fantástico com qualquer instrumento em que pegava.
Excelente música mais a habitual simpatia de Matt Berninger que até agradeceu a carta que recebeu de um fã, fizeram deste um concerto a recordar. No entanto ficou claro que é uma banda que ganha muito mais em tocar num espaço mais intimista e não tanto neste espírito festivaleiro.






Gogol Bordello

Com o cancelamento dos "Cansei De Ser Sexy" não foi necessário andar em correrias de um palco para o outro e deu para assistir com toda a calma ao excelente espectáculo que os "Gogol Bordello" nos porpocionaram, sem dúvida um dos melhores concertos deste "Alive" tendo sido para mim a maior surpresa do festival, uma vez que não os conhecia.



The Hives

Outro concerto fabuloso. Os "the Hives" mantêm a chama do Rock N´Roll acesa e os seus concertos são a prova viva disso.
Além da sua grande música, Pelle Almqvist é um verdadeiro entertainer que juntamente com a sua banda porporcionou um excelente espectáculo de música, humor e até malabarismo.
Algures durante este concerto começaram os "Hercules And Love Affair". Apenas conheço uma música mas parece-me um projecto bem interessante, talvez numa outra oportunidade os possa ver. De qualquer das maneiras pelo que li o concerto não foi dos mais felizes, parece que Anthony fez muita falta.





Rage Against The Machine

Imagem retirada do Já Cheiro o Samádhi

O regresso dos "guerrilheiros" era sem dúvida um dos mais esperados. Muito provavelmente a razão porque o recinto estava tão cheio.
Os Rage continuam os mesmos e continuam a tocar muito mas mesmo muito bem.
Ver Tom Morello a dominar a sua guitarra foi qualquer coisa de fabuloso.
Foi o concerto onde me diverti mais, afinal de contas já são muitos anos a ouvi-los.
É verdade que foi curto, mas foi muito intenso, como se um furacão tivesse passado pelo recinto. A força dos Rage é muita e continua toda lá, espero que voltem e que voltem a lançar material original. Perdoem-me os fãs de Audioslave, mas Rage é Rage!
Ainda houve tempo para Zach De La Rocha homenagear José Saramago.
Não fiquei com nenhum vídeo de jeito deste concerto, mas há vários que podem ser encontrados no You Tube. No entanto deixo aquilo que foi possível filmar durante o furacão.




E assim terminou este primeiro dia do festival.
Foi mesmo muito bom e a companhia ainda o tornou melhor.

7 comentários:

Anita :) disse...

Pela tua descrição deve ter sido mesmo EXCELENTE:)))
Eu li muitas boas críticas sobre o concerto dos Vampire Weekend, que era o concerto que mais queria ver nesse 1º dia:) ainda bem que eles gostaram do público português...pode ser que voltem cá em breve:)

Beijinho e, continuação de uma excelente semana:)*

Menphis disse...

Foi o melhor dia de 3 dias de grandes recordações. Foi o dia mais intenso, mais festivo e mais cansativo para nós que tanto saltamos. Como dizia o pirata do Gogol Bordello " party, party, party".

E sim, a tenda do Batman foi desilusão, e os Rage foram mesmo um furacão.

Apenas duas coisas: penso que chegamos a ver o Jel com o Fernando Monteiro dos Moonspeel, parece-me que na foto ( e pelo que vi na Sic Radical) ao lado dele estava o Fernando. Agora, nós é que não nos apercebemos que era ele. Outra coisa, o vídeo da Cube está mal. Apenas dá 2 segundos, ou é do meu pc ?

um abraço

PS: Manda-me as fotos quando puderes :)

celtic-warrior disse...

Sim Loot, alguns daqueles rapazes à entrada eram dos RAMP :) Espero que os RATM voltem cá a Portugal, pois não deu para ir a este :(

Gonçalo Trindade disse...

Parece que foi mesmo óptimo... agora quero é ver o que achaste do Bob Dylan. Já ouvi gente a dizer que foi a desilusão do festival.

maurobindo disse...

Grande reportagem Gabriel, gostei bastante. O Festival foi qualquer coisa de memorável. Excelentes bandas nos 3 dias, mas este 1º foi muito forte. Rage foi curto, intenso e inigualável! Queria mais... pode ser que regressem...

Menphis disse...

Sobre o vídeo já vi que era do pc do meu trabalho :)

looT disse...

Anita: E foi mesmo!
Acho que os Vampire Weekend ainda vão passar por cá várias vezes :)

Menphis: Também foi o meu predilecto. Os Rage foram um furacão que até te deixou uma recordação no lábio, como disse o outro são "Ossos do Ofício" eheh.
Afinal sempre criei uma conta no you tube, para colocar alguns vídeos.
Ando é com um problema no PC muitas vezes não me deixa ver vídeos na net o que será?

Celtic: Ah bem me aprecia ;)
Rage foi fenomenal, espero mesmo que não se voltem a separar.

Gonçalo: Foi fantástico! Quanto ao Bob Dylan já coloquei o post sobre o dia 11 :)

Mauro: Obrigado. Depois temos de gravar um cd com todas as fotos, vocês tiraram algumas formidáveis.
Os Rage que voltem que por cá serão sempre muito bem recebidos.

Cumprimentos a todos