quinta-feira, abril 26, 2012

The Avengers


Para descrever o que este filme é para mim, vou pedir emprestadas as palavras mais proferidas por Abed Nadir de "Community" e que são: "Cool, cool, cool". "The Avengers" tem muita pinta e é pura diversão ao mais alto nível, é tudo aquilo que esperava de um filme deste calibre e que consegue a proeza máxima, aquilo que todos os filmes deste género deviam almejar, que é despertar a criança que há em nós.

Pela ambição, este projecto seria sempre lembrado, é afinal de contas, a primeira vez em Cinema que se junta uma equipa destas. Claro que já existem filmes de equipas de Super-Heróis, temos os "X-Men" com alguns títulos soberbos e os "Fantastic Four", infelizmente dispensáveis. Porém, todas estas nasceram já como equipas na BD, os Avengers não. Os Avengers, tal como a Liga da Justiça para a DC é aquela equipa com que todo o leitor de BD sonha, a equipa em que se reúnem os Super-Heróis individuais mais populares. Por isso mesmo foi uma sábia decisão terem introduzido todos os protagonistas em filmes individuais primeiro, tal como havia sido feito na BD. A espera para chegar até aqui foi mais longa, mas compensou, em "Avengers" não se perde tempo a introduzir as personagens, isso já foi feito e se fosse de outra maneira metade do filme seria gasto nisso.


Mas, vamos por partes. Porque é que este filme funciona assim tão bem? Na minha opinião vou salientar os factores que considero mais relevantes. Para começar "o homem do leme", Joss Whedon, temos aqui um senhor que percebe de BD, que aliás, já escreveu para BD e por isso sente-se que as personagens foram bem entregues, há não só respeito por elas como as suas personalidades são muito bem exploradas aos quais Whedon adiciona o seu toque de humor. Se há coisa que sempre apreciei neste senhor foi precisamente o seu sentido de humor aguçado que para quem está familiarizado com o seu trabalho ("Firefly", "Buffy") irá certamente reconhecer o seu toque neste filme também. Outra coisa importante é que Whedon sabe realizar filmes, como já provou em "Serenety" (sim é uma boca ao "Spirit"). As sequências de acção em "Avengers" são muito bem pensadas, ver esta equipa a lutar em todo o seu esplendor e glória é magnífico. Aliás todo o espírito de diversão da BD é algo que se sente muito neste filme, essa transposição ocorreu na perfeição, são vários os momentos icónicos a que assistimos, desde um Hulk a tentar levantar o Mjolnir ou um Tony Stark a experimentar a sua nova armadura.

O elenco é outro factor importantíssimo e onde felizmente foi feito o pleno. Robert Downey Jr. foi o primeiro nome a surgir nesta equipa, ele é Tony Stark. Era das escolhas mais óbvias, porque é das mais perfeitas. Dito isto como poderia falhar? A sua personagem aqui mantém-se igual a si própria porque não se mexe com a perfeição.


Chris Hemsworth interpreta novamente Thor, o deus nórdico do trovão, pessoalmente sou dos que gostou muito da escolha. O seu Thor é seguro, imponente, divertido e acima de tudo, com um sentido de honra fortíssimo. Neste filme gostei particularmente da forma como exploram a sua relação com Loki, pois para todos os restantes Loki é apenas o vilão, mas para Thor é o seu irmão também. Por falar no deus da trapaça o que dizer de Tom Hiddleston? Nada, além de elogios. Excelente escolha para vilão, de todos os filmes anteriores era o que tinha mais estofo para ameaçar uma super equipa destas. Hiddleston já tinha sido um dos pontos mais fortes no filme "Thor", aqui regressa à sua personagem, que anseia por vingança mais do que nunca, e volta a entregar-nos uma representação fascinante que o coloca no pedestal dos grandes vilões de BD adaptados ao cinema. Os seus discursos sobre a liberdade, focando que com a sua liderança o nosso mundo conheceria a verdadeira paz, tornam-no um vilão ainda mais interessante.

Na altura que Chris Evans foi escolhido para ser o Captain America, muitos expressaram o seu desagrado, não porque Evans não fosse capaz de interpretar Steve Rogers, mas, porque já tinha sido o Human Torch em "Fantastic Four". A mim Evans já me tinha convencido no seu filme a solo e aqui ainda gostei mais de o ver, porque senti ainda mais o espírito do Captain America. É uma personagem que praticamente não tem poderes ao pé dos outros, é juntamente com Black Widow e Hawkeye dos mais fracos e ao pé de deuses e "gigantes", fica sempre o receio de que passem para segundo plano. Contudo, Whedon, soube orquestrar esta equipa muito bem e todos têm um papel a desempenhar nela. O Captain America assume naturalmente o papel que sempre lhe foi destinado, o de líder e nunca em altura nenhuma isso soa a forçado. As suas cenas de luta são também fabulosas e compensam o facto de ter o fato mais piroso do filme...


De todos estes Super-Heróis, o mais mal tratado foi o Hulk, que é também a pedra no sapato deste franchise, não só por o "Incredible Hulk" de Louis Leterrier ser o pior de todos, mas porque o actor teve de mudar também. Claro que este factor inicialmente negativo acabou por ser muito bom, para mim Mark Ruffalo tem mais de Bruce Banner do que Edward Norton, não desfazendo o grande actor que este senhor é. E felizmente o Hulk surge aqui como a força da natureza que é, esqueçam o passado, este sim é o verdadeiro monstro verde que rouba todas as cenas em que entra e cuja voz volta a ser dada por Lou Ferrigno. Pessoalmente preferia que tivessem feito a ponte com o Hulk de Ang Lee, melhor filme e também com um bom Banner (Eric Bana), e essa ponte nem seria difícil de construir, os filmes facilmente se uniriam, não fosse pelo pequeno pormenor de dizerem que o Banner se transformou quando tentava recriar a fórmula do super soldado que criou o Captain America.


Por fim, temos Black Widow e Hawkeye, a espia e o sniper, os humanos e únicos membros da SHIELD a integrarem a equipa e que por isso partilham uma ligação maior entre eles os dois. Filme que é de Joss Whedon tem de ter uma rapariga jeitosa a distribuir quilos de porrada, Scarlett Johansson é essa rapariga e se não era nada uma escolha óbvia para esta personagem, tem cada vez mais ganho a minha simpatia. Jeremy Renner que tinha tido um cameo curto mais precioso em "Thor" regressa agora com bastante mais tempo de antena. O uso das suas variadas setas foi muito bem conseguido e sempre com muito estilo, dá realmente para acreditar que nos dias de hoje alguém ainda privilegie este tipo de armas.


A SHIELD revela-se finalmente neste filme, agora sim temos uma boa visualização do funcionamento desta equipa. Quando vemos a sua base de operações é um momento que qualquer fã da BD vai vibrar e por isso mesmo não me vou estender mais sobre o assunto para não estragar a surpresa. Nick Fury está de regresso e desta vez mais do que meros minutos. Há uma diferença muito significativa entre Samuel L. Jackson e os restantes actores. É que ao contrário dos outros, Jackson já tinha sido escolhido na própria BD como Nick Fury. Não na versão clássica, mas na versão "Ultimate" (ver aqui). Por falar em "Ultimates" as influências deste universo são muito notórias nas novas adaptações da Marvel, neste filme é-nos novamente recordado isso logo ao início quando revelam que o exército reunido por Loki é do povo Chitauri, nome pelo qual os Skrull são mais conhecidos na Terra do universo "Ultimate". Se gostaram deste filme, aconselho a espreitarem o segundo volume de "Ultimates" não só porque é bestial, mas porque a história também recai sobre a invasão dos Chitauri.

Como braço direito e esquerdo de Fury temos o já bem conhecido Agent Phil Coulson (Clark Gregg) e a estreante (em Cinema) Agent Maria Hill (Cobie Smulders). Phil é a personagem da SHIELD que estabeleceu maior ligação com os heróis como é visível nos filmes anteriores, pode ser uma personagem secundária mas a sua importância é tudo menos isso. Quanto a Cobie Smulders foi bom vê-la fora de "How I Met Your Mother" mesmo sendo uma aparição relativamente curta.


Esta é a história sobre a reunião da equipa de heróis mais poderosa da Terra. Indivíduos tão únicos e dispares que acabam por unir forças em prol de um bem maior. Banner diz a dada altura que isto não é uma equipa, é uma bomba-relógio, no final, fica a sensação de que mais do que isso, agora, é uma família e no fundo é tão simples quanto isso. Quem gosta deste tipo de filmes, não vai certamente sair desiludido, temos aqui aquele que será não só um dos melhores blockbusters do ano, mas também um dos melhores filmes do género feitos até à data. Isto sim é entretenimento do melhor e tendo sido o primeiro filme da Marvel a ser distribuído pela Walt Disney é caso para dizer que esta aquisição tem tudo para dar grandes frutos.

Gostava era de ver as personagens da Marvel mais unidas no Cinema e não tão separadas por diferentes produtoras. Não seria excepcional ver cameos do Spider-Man, do Wolverine ou do (cof cof) Silver Surfer? Posso estar a sonhar alto, mas depois deste filme, como é possível não o fazer? Principalmente depois de ver o potencial vilão da sequela após os créditos finais.

13 comentários:

Ruca! disse...

ainda não fui ver, mas depois deste excelente artigo, vou mais à confiança, pois estava com a ideia que este filme tinha tudo para ser espectacular visualmente mas fraco em termos de conteúdo, muito devido ao número de personagens que era preciso explorar e dar visibilidade.

e como vai a leitura do x-men vs. avengers?
abraço.

CINE31 disse...

Subscrevo totalmente :)

ArmPauloFer disse...

Excelente a critica!
Assim que termine publicarei a minha mas esta está verdadeiramente apaixonante de ler e focaste tudo o que é importante. Parabéns!

Pelo que vou sabendo, os Chitauri, foram sim usados do Universo Ultimate, como raça alienígena por serem posteriores ao negócio da Marvel na cedência dos direitos das personagens (incluindo vilões) a estúdios de cinema (e os Skrulls estavam aí incluidos), portanto Thanos será posteriormente a escolha a ponderar...

Bongop disse...

Quero ver se o vejo na 2ª feira (ou então durante o fim de semana (difícil)!
:)

Abraço

Loot disse...

Ruca: Também partilhava desse receio, são muitas personagens e já vi filmes perderem-se por isso, como o Aranha 3, onde acabam por querer falar de tantos vilões, não desenvolvendo bem nenhum deles.

Aqui há a vantagem de as introduções terem sido feitas previamente, de resto o tempo de antena entre eles é muito bem dividido. Há espaço e tempo para todos brilharem e a interacção entre eles funciona. Que inveja esta malta deve-se ter divertido tanto.


Cine31: É muito bom quando cumpre as expectativas :)

Armindo: Não sabia isso dos Chitauri, se calhar até foi por isso que não mencionaram as suas habilidades de transformação, mas, da forma que eles entram no filme também não era necessário. Se fosse uma típica invasão Skrull então sim :)

Bongop: Tenho a certeza que vais gostar :)

Abraço

Anónimo disse...

O filme é bom sem dúvida, só acho que tem duas falhas na narrativa, ou que pelo menos eu não percebi.

1º Porque é que o Hulk de repente já fica "controlado" e não ataca toda a gente como na primeira parte do filme.
2º Como é que o Thor de repente aparece quando no filme dele tinha ficado sem acesso à Terra.

De resto muito bom!

Loot disse...

Ruca: Em relação ao Avengers VS X-Men, ainda não é para já. Primeiro quero ler alguns títulos anteriores, estava a ler o Avengers Disassembled e parei, mas depois deste filme já vou recomeçar :D

Anónimo: O Hulk já ajudou várias vezes os heróis da Terra na BD. Aqui voltou a unir forças contra algo que atacava o seu planeta a sua casa, não me faz confusão, o Hulk pode estar a ajudar-te num segundo e a dar-te um murro na tromba no outro :)

Quanto ao Thor, algo que talvez expliquem na sua sequela. Podiam ter explicado é certo, mas o Heimdall sempre lhe disse que havia esperança em voltar à Terra, parece que conseguiu arranjar outra forma, esta malta arranja sempre forma de resolver estes problemas.

ArmPauloFer disse...

@ Loot: participando nessas duas questões do comentador anónimo... e acrescentando ao que disseste:
- No caso do Hulk, percebemos, pelas noções dos dois filmes do Hulk, que o ser irracional que é pensa e pensa com preocupações (no filme do Ang Lee temos uma cena em que ele salta para cima de umavião descontrolado para o salvar... e no segundo Hulk, percebemos que basta o Banner o apontar para algo que o Hulk percebe o que tem de fazer), no Avengers, há a evolução disso.

- o caso do Thor, é claramente explicado pela inteligência dedutiva do Loki nas acusações/bocas que diz ao meio-irmão... e faz sentido, sim!

Queiroz disse...

NÃO LEIA SE QUISER EVITAR SPOILERS


É o melhor filme com personagens da Marvel já feito, sem dúvida. POr mais que a gente não deva ignorar que não há nesse filme um coração tão grande quanto do Peter Parker de Homem Aranha-II, tudo que se espera de um filme de hqs está nele. Homem de Ferro faz os seus filmes anteriores parecerem videos caseiros do You Tube. Thor embora ache que seu arco dramático tenha fim no seu filme solo, neste ele nãp faz feio nas cenas de ação, enfrentando nada mais, nada menos que o Hulk no braço, e ainda é convincente o apreço por seu irmão bastardo. Pela primeira vez acredito que Hulk e Banner são a mesma pessoa, não sei se é por causa do queixo quadrado de Mark Ruffalo, mas talvez seja o choque que a Viúva Negra sente ao ser assustada por Bruce Banner, que inclusive cita a tentativa de suicídio cortada do seu filme solo. Talvez sinta o Cap.América o mais prejudicado na transição de um filme para outro, no que tange o seu potencial para a ação, que privilegiou ao meu ver mais o Gavião Arqueiro e a Viúva Negra, a última que deveria se demostrar a mais vunerável do grupo, diante dos alienígenas.

Enfim é um filme excelente, certas passagens de humor poderiam até ter sido dosadas, mas como disse alguém, cinema é a maior diversão.

Valeu Loot.

Loot disse...

Armindo: à vontade, mi casa es su casa, ;)

Queiroz: Eu por acaso gostei muito do Cap. Acho que está mesmo bem, as suas cenas de luta, a sua liderança, tudo isso passou. É verdade que não estava à espera de tanto protagonismo da Black Widow, porque afinal de contas já temos aqui algumas personagens. Mas o Whedon não resiste a este tipo de personagem :D

Talvez se pudesse colocar no final o Cap no lugar dela, mas, não é importante, ambos estão bem :)

abraço

tadeu disse...

loot, minha vez chegou!
catano...êxtase total! :)
que vantagem do caraças não ter de perder tempo com introduções...diversão pura!
vibrei com o raio do filme...
grande texto, excelentes notas para quem, como eu, não domina a matéria. até que enfim pude ler o texto :)

abraço e boa semana :)

maurobindo disse...

Filme excelente!!!
Fui ao cinema 2 vezes e não fui mais porque não calhou.

Das melhores adaptações de sempre de BD, com muita pinta, como dizes ;)

Anónimo disse...

cialis generique , cialis, cialis online, precio cialis.