segunda-feira, abril 29, 2013

Iron Man: Extremis


Já era para ter feito isto há mais tempo, mas quero ver se este ano não falho. Falo de aproveitar a estreia de determinadas adaptações de BD, para sugerir uma leitura a quem está mais afastado da 9º arte.

Assim sendo e aproveitando a estreia de "Iron Man 3", escolhi como sugestão "Iron Man: Extremis" que até conta com edição nacional pela Levoir na segunda série da "Colecção Heróis Marvel". Escolhi o livro de Warren Ellis e Adi Granov porque o arco "Extremis" irá ter importância neste novo filme sobre Tony Stark. E vale também a pena relembrar que "Iron Man: Extremis" já havia sido uma fonte de inspiração para o primeiro filme do Iron Man.

Há que dar crédito à Marvel pelas suas inúmeras e fantásticas criações. Temos o nerd que está destinado a grandes feitos; o patriota que arriscará tudo por defender os ideais em que acredita; o cientista condenado, o anti-herói que fez de missão de vida punir os criminosos; temos ainda mutantes e deuses, entre tantos e tantos outros. E temos o Iron Man, à partida, o antónimo de um super-herói, ou não tivesse lucrado Tony Stark com a indústria do armamento. Além do mais Stark é um homem que já lutou - ou continua a lutar - contra o vício do alcoolismo, é um daqueles heróis quebrados e amargurados e por isso mesmo, uma personagem tão interessante,

Ellis, focou muito bem em "Extremis" esta faceta do herói, como podemos comprovar na fantástica cena em que Stark é entrevistado por John Pilinger (numa alusão a John Pilger). Um excelente diálogo sobre o papel que as armas de Stark têm no mundo, que vale tanto pelas questões do repórter, como pelas respostas de Stark.

É também uma história de grande importância na vida de Iron Man, é uma daquelas que irá mudar a vida da personagem tal como a conhecemos. Em "Extremis" o herói irá avançar tenoclogicamente a sua relação com a do fato de Iron Man, par aum novo nível, mas para não estragar, não entrarei em pormenores.




O desenho digital de Adi Granov (que trabalhou no desing dos filmes) é muito competente. Apesar de preferir registos mais clássicos, o trabalho digital de Granov aliado ao uso de fotografia é fantástico, mesmo a nível de acção, que me arrisco a dizer serem os melhores momentos do desenhador.

De aplaudir a edição da Marvel ter deixado passar as cenas finais do confronto. O livro tem a marca de violência de Ellis em todo o lado, mas nunca pensei que a editora a deixasse passar o final. Adorei.

A edição da Levoir ainda conta com mais quatro histórias curtas: "Railguns, power ties and titanium men" de Adam Warren e Salva Espin; "Killer Commute" de Mark Haven Britt e Nuno Plati; "Heavy Rain" de Matteo Casali e Steve Kurth; e "Hack" de Tim Fish e Filipe Andrade.

A primeira e a terceira recordam o grupo I.M.A., sendo a história de Adam Warren mais voltada para a aventura divertida e cartunesca. Em "Killer Commute" temos uma aventura centrada em Pepper e que conta com desenho e cor do português Nuno Plati, num belíssimo trabalho em que o desenhador volta a provar que tem um jeito natural para as senhoras. "Hack" foi o primeiro trabalho de Filipe Andrade que fala sobre ele e outros nos extras do livro, sem dúvida uma boa adição por parte da editora, principalmente pela oportunidade de ver os esboços do autor, pois com a adição da arte-final e da cor, o resultado muitas vezes é bastante diferente (para melhor ou pior) e neste caso vale a pena ver o trabalho original de Andrade, um dos nossos grandes desenhadores nacionais.

É pena que não tenha havido possibilidade de termos uma parte dos extras dedicadas também a Nuno
Plati.

Nota: Nos extras sobre Filipe Andrade, quando se lê que Ricardo Venâncio foi um dos desenhadores que participou em "Avengers Fairy Tales" deve ler-se Ricardo Tércio.

10 comentários:

Arm Paulo Fer disse...

Excelente ideia, Loot!
Não cheguei a adquirir esta (e imensas das outras edições - mas quando li a que tenho da queda dos Stacy, fiquei com imensa pena de não ter mais... mas não me permite a tanto as minhas economias) e confesso que não sei nada de concreto sobre o arco Extremis na vida do Homem de Ferro. Deve ser bem fixe... espero que o filme IrM3 me venha a dar umas boas luzes sobre o assunto.

Nuno Amado disse...

Bem... o filme não tem nada a ver com o livro. Extremis é só uma palavra que existe no livro e no filme, mas que não querem dizer a mesma coisa num e noutro.
;)

Loot disse...

Arm: Obrigado :)
Já vi o filme entretanto, do qual esperava mais, o primeiro "Iron Man" e "Avengers" elevaram a fasquia. Estas edições de levoir acho que continuam à venda, podes sempre comprar mais tarde. Nem todas são bem conseguidas, lembro-me do 1º Aranha que em termos de tradução não gostei. Este "Extremis" vale a pena e é precisamente o início de uma nova fase do Iron Man, por isso podes lê-lo à vontade sem saber nada.


Nuno: Na altura que escrevi isto ainda não tinha visto o filme, mas vá há mais semelhanças além do nome, o Extremis sempre melhora os órgãos :P
De qualquer das formas parece-me uma boa sugestão até porque, actualmente na BD, o Iron Man tem o Extremis :)

MauroZiBex disse...

Gostei bastante deste "Extremis", que é um excelente volume da 2ª colecção Marvel. Em relação à arte de Granov, acaba por ter um crivo digital muito acentuado. Não é o meu estilo preferido, não querendo com isto dizer que é menor, e encaixa muito bem no enredo de Ellis.
E sabe bem ver malta portuguesa a desenhar e a escrever super-heróis. Que tenham ainda mais visibilidade!

Uma nota às traduções desta colecção, muitas vezes os discursos surgem muito inglesados e percebe-se que não há uma contextualização 100%. Se houver uma série 3, seria interessante uma melhoria neste aspecto.

Loot disse...

Totalmente de acordo em tudo. Este tipo de arte não cai nos meus preferidos, mas é mto boa.

Quanto à tradução é o ponto fraco destas edições da levoir. Como referi acima o 1º Aranha era mto fraquinho nesse aspecto, neste Extremis nem notei tanto. Fiquei contente pela escolha dos livros, pelo facilidade em os arranjarmos e o preço é bom, mas este tipo de pormenores deixa-me triste com o produto final.

abraço

Anónimo disse...

http://prixviagrageneriquefrance.net/ viagra generique
http://commanderviagragenerique.net/ vente viagra
http://viagracomprargenericoespana.net/ viagra generico
http://acquistareviagragenericoitalia.net/ comprare viagra

Optimus Prime disse...

Eu gosto da história apesar de estar longe da Armor Wars ou Demon in a Bottle.
Agora a Levoir e Publico revelam a burriçe extrema porque esse e todos dessa coleção não estão nas fnacs ou seja se sais do cinema e queres ler algo do Latinha tens que levar os hcs dos Vingadores ou a Guerra Secreta(que tambem não se acha nas lojas).

Loot disse...

Eu teria este nas bancas agora definitivamente, até porque ao verem o filme a palavra EXTREMIS surge tal como na capa deste livro o que poderá atrair sempre leitores.

Talvez tenha vendido tanto que esgotou Optimus :P

Abraço

Loot disse...

No fim-de-semana passei pela fnac e vi pelo menos duas edições do Extremis, ambas americanas. Uma a BD e outra uma adaptação para prosa, ou seja, pelo menos a fnac parece estar a ter em conta o filme :P

Optimus Prime disse...

Tambem as vi na de Bd só muda a capa baseada no 2 hc com a história que acho que tinha extras.De resto é igual ao sc americano.