sexta-feira, junho 01, 2012

DC Comics revela que Alan Scott será o novo super-herói gay da editora


Um amigo meu mostrou-me esta notícia onde revelam finalmente quem é o super-herói gay que a DC Comics tinha prometido anunciar. Esta notícia em particular que li aqui, tem uma série de erros e por isso queria dar algumas considerações pessoais, até para esclarecer os pontos em que estão equivocados, mas não só.


1º A sensação que passa, e creio ser verdadeira, é que é tudo uma grande manobra de marketing da DC Comics. Com a Marvel a ter publicado recentemente o primeiro casamento gay da editora a DC não quis ficar atrás. Porém, neste aspecto a Marvel parece mais sensata, ora quem está a casar é o Northstar um mutante assumidamente gay há bastantes anos, a Marvel não se limitou a alterar a orientação sexual de um dos seus heróis do dia para a noite... Claro que a DC também não, mas já explico isso melhor no fim.
É verdade também que o Northstar antes não era das personagens mais populares quando a Marvel optou por introduzir um super-herói homossexual, duvido que o fizesse na altura com um dos principais, pois temiam os riscos (hoje já não seria nem é assim), mas, novamente não faz sentido mudar radicalmente os gostos do Homem-Aranha, por exemplo. Actualmente o tema das diferentes sexualidades é muito mais explorado na Marvel e neste campo parece-me estar mais actual. A DC obviamente não quer ficar atrás.


2. Ora a DC Comics, comprou há uns bons anos a editora Wildstorm a qual teve o primeiro casamento gay entre dois super-heróis, são eles Apollo e Midnighter um dos casais mais badass de sempre, ou seja, a Marvel não foi pioneira como li ali escrito.
E assim é que se faz, na minha opinião, se querem ter diferentes tipos de personagens, criem-nos de origem. E estes dois são fenomenais não é à toa que a DC actualmente os introduziu no seu próprio universo na série "Stormwatch". Para mim não há necessidade de ir buscar uma personagem heterossexual e mudá-la só para aumentar as vendas. Sejam mais originais. Este é o único ponto onde não vejo necessidade nenhuma para esta nova decisão, porque de resto faz-me todo o sentido tornar estas histórias mais diversificadas e realistas. Já agora realista é grande palavra para usar dentro de um universo onde há super-poderes, mas vocês perceberam.


3. Contudo, Apollo e Midnighter são nomes desconhecidos do grande público e era preciso uma notícia que chamasse a atenção. Daí a escolha do Lanterna Verde, obviamente, um dos heróis mais conhecidos da editora.
Claro que se aprofundarmos isto vemos que há vários Lanternas Verdes e o escolhido não é, Hal Jordan, o mais conhecido e popular nos dias de hoje, mas antes Alan Scott, o primeiro de todos e que pertence a um universo paralelo, não tendo nada a ver com a força policial intergaláctica que dá pelo nome de Green Lantern Corps. Mas, como a maioria só se vai focar no nome Lanterna Verde a DC passa por muito cool e radical (mas não é).


4. Aprecie-se ou não a decisão desta mudança, a verdade é que os editores da DC de parvos não têm nada. A mudança da orientação sexual de Alan Scott dá-se precisamente numa altura de reboot. Pois é, a DC Comics começou tudo de novo (ou quase) e neste novo universo paralelo a que pertence Alan Scott, muita coisa pode e mudou. Algumas não vou dizer porque são SPOILERS severos. 
Portanto a DC ao contrário do que li não tem de justificar 70 anos de heterossexualidade em Alan Scott, porque esse era outro. O actual é um novinho em folha que podia até ser chinês. A própria Marvel já tinha feito isso no Universo Ultimate ao colocar o Colossus como gay e curiosamente numa relação com o Northstar desse universo.


5. Concluindo. A DC consegue chamar atenções com a notícia e até se safa nas justificações. Diz quem leu que a série "JSA" (onde entra Alan Scott) está bem catita, é uma leitura a considerar portanto. A quem não conhece, espreitem as aventuras do Midnighter e do Apollo seja agora ou na extinta Authority, que não se vão arrepender.


Adenta: Quando escrevi isto estava a reflectir sobre a homossexualidade masculina nos comics de super-heróis. Porque no caso das mulheres é, infelizmente, uma questão mais facilmente aceite. Neste sentido a DC Comics actualmente já tem a Batwoman, cuja última série teve vários elogios da crítica. Claro que o peso que a Batwoman tem não é o mesmo que uma Wonder Woman e nem o mesmo que ter um homem. Daí tanta projecção dada a esta nova notícia. Havia até quem pensasse que o contemplado seria o Batman, mas quem achava isso claramente não leu o número 1 da Catwoman, que também foi muito badalado por ter uma cena de sexo entre os protagonistas mencionados. Aliás os "Novos 52" da DC têm sido muito falados por questões relacionadas com a sexualidade e quem ganha com esta conversa toda é a editora, afinal de contas, "não há má publicidade".
A partir da página de facebook do blog Bela Lugosi's Dead vi aquele que poderá ser o primeiro beijo homossexual neste tipo de BD e coloco-o a título de curiosidade, é de 1939 e claro entre mulheres (na altura ninguém deixaria passar entre homens) e é precisamente da DC Comics, vejam aqui.

6 comentários:

Nuno Amado disse...

Eu tou a borrifar-me se há personagens homossexuais ou não. Acho apenas estúpido que forcem a homossexualidade de uma personagem porque fica bem nos tempos que correm, ou porque os concorrentes directos de mercado já o fizeram! Existe espaço para tudo, não é necessário forçar...
O melhor casal homossexual de sempre de super-heróis são Apollo e Midnighter, dois cabra-safados do piorio quando toca a andar à trolha! E foram os primeiros a casar, e SÃO PROPRIEDADE DA DC!
Portanto não percebo estas palermices. O Northstar já era homossexual, assim como Kate kane (Batwoman). Ou seja não foram forçados a sê-lo por clichês actuais. Ainda hei-de ver um super-herói de mãe chinesa, pai africano a falar espanhol e ser homossexual. Estão quase lá!
Como eu já disse, há espaço para tudo, não é necessário forçar...
;)

Abraço

Loot disse...

Pois aqui nota-se as intenções da editora em chamar a atenção.
Como bem dizes há espaço para tudo, todos os exemplos citados foram bem executados.

Mas, como disse, a verdade é que este Alan Scott é o Alan Scott reboot e nesse sentido eles podem mudá-lo. É mais uma das mudanças radicais deste reboot a outra foi a starfire se não estou em erro (em termos de personalidade).

Supostamente o reboot ia manter a personalidade dos heróis fiel a si mesma, ou assim pensava eu, aparentemente não.

Eu como digo no texto prefiro criarem material original do que irem alterar o passado. Soa a falta de ideias e neste caso em particular ao caminho fácil.

maurobindo disse...

Acabei de fazer um post sobre o casamento do Northstar, o casamento do ano, e ao passar por aqui vi que tinhas feito um post sobre algo que não sabia. As editoras grandes já nos habituaram a muitos golpes de marketing e obviamente a DC não queria ficar atrás da Marvel. Concordo que o forçar é desnecessário, no entanto, os universos paralelos permitem às editoras uma desculpa para fazerem habilidades destas, goste-se ou não.

Achei excelente o primeiro beijo gay em 1939, uma pérola!

Ah, a propósito de DC, cometi a doidice de comprar todos os números #1 de "The New 52"! Estou a ler aos poucos os vários títulos e há uns bem porreiros.

Loot disse...

Em relação aos universos é verdade, veja-se o Colossus do universo Ultimate. Neste caso da DC este agora é o universo oficial, um universo que sofreu um reboot. Com o tempo temos vindo a descobrir uma série de mudanças em relação ao tradicional, algumas boas outras que nãp aprecio tanto, como esta. Por exemplo que será dos dois filhos de Alan Scott, deixarão de existir agora? Espero que não.

mas goste-se ou não das mudanças tem havido histórias muito boas. Não tenho seguido muita coisa, mas O Batman de Snyder o Action Comics de Morrison são muito bons. Falam muito bem também do animal man. Enfim de uma forma geral os títulos têm sido bem recebidos. E mesmo fora dos novos 52 a DC tem tido coisas muito boas como o Penguin Pain and Prejudice.

Depois diz quais os títulos que vai seguir dos novos 52 :P

abraço

maurobindo disse...

Por agora só estou a seguir o Batman - Detective Comics. O resto vou lendo, mas como disse apanhei já histórias interessantes que me vão fazer querer ler pelo menos o #2. Quando terminar farei um post a propósito e aproveito para destacar o que mais gostei.

Abraços,

Loot disse...

Percebo a escolha porque o final do #1 do det comics é de tirar a respiração, uma pessoa precisa de seguir aquilo.

No entanto, tendo já lido 9 fascículos desse e do Batman, posso afirmar sem margem para dúvida que o Batman do Snyder é melhor ;)

abraço