quarta-feira, dezembro 09, 2009

Lucifer: Devil in the Gateway

"Lucifer" trata-se de um spin-off da personagem criada por Neil Gaiman na sua obra-prima "The Sandman". É evidente que a DC Comics já tinha utilizado o Diabo como personagem antes, mas esta abordagem em particular surge inteiramente da mente de Gaiman que tirou influências da obra "Paradise Lost" de John Milton. A pedido do autor Lucifer foi desenhado para se assemelhar a David Bowie, tal como Constantine havia sido criado há semelhança de Sting. É caso para dizer que grandes artistas musicais andam a passear pelas vinhetas da Vertigo.
O seu carisma é tão grande que apesar das curtas aparições sempre se destacou como um dos personagens mais fortes de "Sandman" e na opinião do seu criador um que merecia definitivamente a sua própria série, algo que a início enfrentou sérias dificuldades, pois aliado ao receio de editar uma série sobre o Diabo, o facto de o quartel-geral da DC estar situado na 666 fifth avenue não ajudava. Eventualmente a série arrancou (acho que mudar de localização ajudou na decisão) e a árdua tarefa calhou a Mike Carey que nestas histórias trabalhou com os desenhadores, Scott Hampton, Chris Weston, James Hodgkins, Warren Pleece e Dean Ormston.
Não há dúvidas de que Lucifer Morningstar é um personagem extraordinário, mas estamos a falar do ser mais poderoso do Universo DC a seguir ao Criador e a par apenas com o arcanjo Michael Demiurgos (devia ser com o Gabriel mas pronto), como iriam ser abordados os seus vários enredos por Carey era uma grande questão e imagino, um enorme desafio para o autor também, mas como este deu a volta ao problema falarei mais à frente.
Para situar o personagem no tempo vou recapitular em que ponto se encontra, saliento isto para avisar que direi muito brevemente o que lhe aconteceu em "The Sandman". A primeira vez que Lucifer Morningstar nos foi apresentado, encontrava-se a governar o Inferno juntamente com os demónios Beelzebub e Azazel. A ideia de o Inferno ser governado por um triunvirato foi imposta pela DC na altura e não uma escolha do autor que era contra. No entanto Gaiman sempre deu a entender, claramente, quem dos três era aquele que tinha sempre a última palavra e nesse sentido não há margem para dúvidas, o senhor do Inferno era Lucifer "The Lightbringer".
Depois de se ter demitido do Inferno e pedido a Morpheus que lhe cortasse as asas, veio viver para Los Angeles (a cidade dos anjos) onde abriu um bar de nome "Lux" e aproveita para dar concertos de piano. É precisamente nessa cidade e nesse bar que esta história tem início.
"Devil in the Gateway", o primeiro volume desta saga compila três histórias, "The Morningstar Option", "A Six Card Spread" e "Born With The Dead".
Na primeira o Céu vai precisar dos serviços de Lucifer para fazer o seu trabalho sujo, o qual aceita em troca de uma "Carta de Passagem". Nesta aventura o Diabo terá de enfrentar os primeiros deuses criados pela humanidade e para isso usará a ajuda de uma jovem Navajo.
Em "A Six Card Spread" questiona-se sobre a "carta de Passagem" que lhe foi concedida. Se o Criador aceitou o seu pedido é porque terá "algum truque na manga", por isso decide visitar um velho "amigo", um daqueles que "caiu" a seu lado e que possui um baralho de cartas, os Basanos, imensamente poderoso e perigoso, capaz de conhecer o passado, presente, futuro e todos os pensamentos da humanidade.
Por fim temos a história "Born With The Dead", centrada em Elaine, uma pequena rapariga cuja melhor amiga foi assassinada. Elaine é muito dotada para o misticismo sendo capaz de ver o espectro da sua falecida amiga e de comunicar com antigas bruxas as quais apelida por avós, entre outras particularidades. Ao tentar invocar um demónio em vão para as ajudar, acaba por gritar desesperadamente o nome de Satanás, Lucifer. A questão que vos deixo a pensar é se o Diabo lhe respondeu ou não.
Como referi Lucifer contém teoricamente imenso poder, porém há aparentemente certos rituais que têm de ser seguidos até mesmo pelo antigo senhor do Inferno. A importância dos rituais era algo já muito exemplificado em "The Sandman". Desta forma é possível colocar o Diabo nas mais diversas situações, no entanto nunca ao longo deste livro ele nos surge minimamente assustado, afinal de contas estamos a falar do primeiro anjo criado por Deus que exubera inteligência e charme por todos os "poros" e não será obviamente qualquer um a ser capaz de o colocar em verdadeiros problemas.
Ao contrário do que alguns poderão pensar, Lucifer não é necessariamente um vilão, ele não procura infligir o sofrimento nos outros, ele simplesmente tem os seus interesses e além disso nada mais lhe interessa. Carey descreveu-o como "estando disposto a queimar o mundo para acender o seu cigarro". Mas quanto mais se conhece o personagem mais se entendem as suas razões e o porquê de ser assim, para isso aconselho a leitura de "Murder Mysteries" cuja história é também da autoria de Neil Gaiman. Este livro pode não conter o selo da "Vertigo" mas quando se lê não há dúvidas que este Lucifer é o mesmo que foi criado em "The Sandman".
As histórias contêm um ambiente que evoca por vezes "Hellblazer", até o próprio Lucifer faz lembrar fisicamente Constantine, apesar de vestir roupas mais caras, mas se há semelhanças entre estes dois começam e terminam no facto de fumarem e serem loiros, nada mais.
As três histórias contidas neste livro são auto-conclusivas, mas percebe-se que cada uma delas é um passo em frente para algo maior, acho que Carey tem muitas surpresas guardadas para o Diabo e para nós e isso é sempre bem vindo.
Gosto muito de histórias sobre "anjos caídos" aqueles heróis que por diversas razões acabam por cair para o lado negro. Esta é a história sobre aquele que deu origem a esta expressão, este é o primeiro e verdadeiro "anjo caído" este é Lucifer Morningstar e se tiverem coragem venham conhecê-lo, pois vale a pena.

7 comentários:

na outra banda disse...

esta bd esta à venda no país? onde descobriste-a?

looT disse...

Está mas em inglês, não existe edição portuguesa, mas deve existir edição brasileira.

Cá encontras à venda em qualquer loja especializada de BD: BD mania, Asa Negra, Kingpin of Comics, Mundo Fantasma, Central Comics, etc.

Eu sou um enorme apaixonado por Sandman conheci o personagem aí e depois segui o que se passava com ele. Esta semana aproveitei para reler este primeiro volume e agora vou no segundo :D.
São 11 ao todo já agora.

Abraço

Bongop disse...

Este é uma personagem que daqui por um tempo me vou dedicar. É como dizes, em Sandman apareceu pouco mas sempre com muita força e interesse!

Abraço

na outra banda disse...

gracias pela info :)

looT disse...

Bongop: E o 2º volume "children and monsters" é ainda melhor :P

Na outra banda: sempre às ordens ;)

Anónimo disse...

eu fiquei muito interressado em ler essa obra de neil gaiman. o cara é um gênio dos roteiros! acho que deve ser dificil conseguir essa revista. mas vou procurar por essa obra prima.

Loot disse...

Este Lucifer foi criado pelo Neil Gaimana em Sandman, mas esta série sobre o personagem da VErtigo é escrita pelo Mike Carey que fez um belo trabalho.

Vou no 5º ou 6º volume e tem sido fantástico. Se calhar este 1º até é o mais fraco, por isso de tiveres oporunidade dá uma vista de olhos.

Mas o ideal seria começar por Sandman e se gostas de Neil Gaiman, para mim Sandman é a sua obra-prima.

Abraço