quarta-feira, setembro 10, 2008

I Killed Adolf Hitler

Imaginem um "mundo" onde o homicídio é uma profissão tão legal e comum como outra qualquer.
Se neste "mundo" é possível ser-se um assassino tal e qual como se pode ser um médico ou um jornalista é de calcular que a actividade de matar outros se torne eventualmente em algo banal.
Pois é exactamente neste "mundo" que a acção de "I Killed Adolf Hitler" se desenrola.
O personagem principal desta história é precisamente um assassino. Como disse anteriormente a sua profissão tornou-se tão habitual que os seus trabalhos variam entre matar esposas traidoras, patrões e vizinhos que fazem simplesmente demasiado barulho.
Se estivermos num bar e subitamente alguém ao nosso lado for morto, independentemente de termos medo ou não, tal acção não nos atinge como sendo surpreendente é apenas mais um dia neste "mundo" caótico. O problema é se algum dia essa pessoa no café formos nós?
Após esta introdução, imaginem agora que são o assassino desta história e que certo dia um cientista entra pela vossa porta e requisita os vossos serviços para matar nada mais nada menos do que Adolf Hitler. Vocês fariam-no?
É sem dúvida um assunto que levanta enormes questões de moral, no entanto não demonstrando qualquer tipo de sentimento e com toda a calma e profissionalismo possível o protagonista desta história simplesmente aceita o trabalho.
Uma vez que nos encontramos no presente, a ideia do cientista é a de que o assassino utilize a sua máquina do tempo para viajar até ao passado e matar Hitler, eliminando assim a existência do holocausto. O único problema da sua máquina é que demora 50 anos a carregar, ou seja, o assassino só terá uma oportunidade.
Como seria de esperar até porque se não o fosse a história seria demasiado curta. A tentativa de assassinato de Hitler falha redondamente e este ao entrar na máquina do tempo para averiguar do que se trata regressa acidentalmente ao presente.
Agora com um Hitler solto na Berlim dos dias de hoje e com uma máquina do tempo que necessita de 50 anos para voltar a funcionar, quem conseguirá finalmente matar Adolf Hitler?
Por fim imaginem esta história desenhada num estilo cartoon, utilizando animais antropomórficos no lugar de pessoas e terão uma história divertidíssima e cheia de reviravoltas cuja cena final não sendo surpreendente é deveras curiosa, nem que seja de um ponto de vista espácio-temporal.
Este livro é da autoria do cartoonista Noruêgues John Arne Sæterøy mais conhecido neste meio por Jason. Este foi o seu primeiro trabalho que li mas aparentemente o seu uso de animais antropomórficos para contar estas histórias já se tornou bem conhecido e característico.
Antes de terminar gostava de salientar que "I Killed Adolf Hitler" foi o vencedor do prémio Eisner para a melhor edição Americana de material internacional em 2008.

14 comentários:

Luis disse...

Parece-me muito interessante.
Só uma coisa. Admira-me que um cientista acredite que matar o Hitler resolveria alguma coisa. Se não fosse Hitler seria um outro qualquer. E, imaginando que resolveria, saindo o Hitler do seu tempo o resultado seria o mesmo que o matar, certo?!

looT disse...

A ideia é engraçada e o livro independentemente de focar pontos interessantes tende obviamente para o humor e não para o rigor científico.

Houve muitas atrocidades cometidas ao longo da História e Hitler ficou bem marcado nas nossas memórias como um dos piores.
A questão "matarias o Hitler?" é muitas vezes colocada e quem de nós poderá garantir as repercussões dessa acção?

E a resposta à tua última pergunta é sim ;)

Abraço

Gustavo Carreira (requiem) disse...

Encontrei esse livro na Bertrand, mas estava por 17€...

looT disse...

Olá Gustavo ainda bem que introduziste essa questão, não o fiz no texto porque não pesquisei o preço do livro na internet.

Eu encontrei-o na fnac e pensava que estava a 15 mas agora que falas nos 17€ começo a achar que estão ao mesmo preço. Que é quanto a mim o ponto mais negativo neste livro.

É evidente que a qualidade não se mede pelo tamanho da obra, mas sendo um pouco racional penso que o preço a que se encontra é demasiado elevado. Como tu viste trata-se de um livro pequeno e que se lê rapidamente, penso que todos iam beneficiar mais se descessem o preço, possivelmente atraindo uma maior gama de compradores.
Eu felizmente tive a oportunidade de o ler sem comprar :P porque muito sinceramente eu gostei do livro mas a 17€? Epá!

Abraço

Fifeco disse...

Ora bem, aqui está uma obra que desconhecia por completo. Ia perguntar onde a se podeia aquirir mas já fui elucidado com os comments supra.

Devo admitir que gostei bastante da ideia e parece-me que seria algo que me agradasse em ler. 17€?? realmente é um pouco. Watchmen custou-me o mesmo mas... por favor, são universos totalmente diferentes.

Abraço

Roberto F. A. Simões disse...

Nasceu um novo espaço de cinema on-line.
CINEROAD
A Estrada do Cinema

http://cineroad.blogspot.com/

Visite(a) já e deixa as tuas críticas!

celtic-warrior disse...

Deixaste-me curioso, mas com esse preço parece-me que vai passar ao lado. Vou tentar ler à pala.

Menphis disse...

Da maneira como me atiçaste a curiosidade sobre esta obra, parece-me que um dia destes me irei sentar no sofá da Fnac e ler o livro numa tarde :)

looT disse...

Sinceramente não sei as razões para este ser o preço, talvez hajam poucos exemplares ou uma outra razão que explicaria isto tudo. Como não a sei vou dar apenas a minha opinião pessoal.

Acho mesmo que o livro só teria a beneficiar com um preço mais baixo. Apenas por estes comentários vou estimar que 4 ou 5 pessoas comprariam o livro se fosse significativamente mais barato. Mas a 17 euros ninguém o fará e ninguém ganha nada.

Cumprimentos a todos

Gustavo Carreira (requiem) disse...

Falta dizer que o livro é fininho, tipo os da "Pior Banda do Mundo"... terá umas 60 páginas, mais ou menos.

Anita :) disse...

esqueci-me completamente de comentar contigo que já li o Watchmen e, tal como previas adorei!!!estou desejosa para ver a sua adptação ao cinema!!! entretanto comprei o "the spirit" mas, ainda não li!!!
Obrigado pela dica:)

Beijinho

celtic-warrior disse...

É verdade, estava a falar com o Diogo (DC) e ele mostrou-me que este livro estava disponível no book depository, a um preço muito convidativo. 7 libras, se não me engano (à volta de 10 euros). É arpoveitar!

looT disse...

Anita: Ainda bem que gostaste é mesmo um livro excelente :)
The Spirit nunca li é uma falha a corrigir ;)
Ah sempre às ordens :D

Celtic: Confesso que como já tive oportunidade de o ler não tenho grande pressa em comprar pode esperar mas agradeço a informação assim qualquer pessoa que leia os comentário já sabe qual o melhor local a ir para o adquirir.
7 libras já é um preço muito mais simpático :)

refemdabd disse...

hehehe! Comentar um post de 2008! Mas este livro por 17 euros era a maior pechincha. Comprei dois. Vendi-os o ano passado por 90 dólares um e, se não me engano, cerca de 75 dólares o outro, mais portes, e até foi em conta. É possível que o encontres mais barato do que 90 dólares, mas pouco menos do que isso. Penchinchão, 17 euros! Quem diria?! Não comprei o segundo com intenção de o vender, aliás, nenhum deles era para vender. Um era para mim e o outro era para oferecer, mas por alguma razão (que não me lembro qual foi) não o cheguei a oferecer. Quando vi o preço que atingia, o guito falou mais alto. Estavam para sair muitos livros que queria comprar e estes, mais o Walking Dead avantajado volume 1, pagaram-nos todos e ainda sobrou. Como é que diz o pregão? Há horas de sorte.