quarta-feira, maio 28, 2008

Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull

Indiana Jones tornou-se sinónimo de cinema de aventura. Todos sabem o seu nome e foram muitos que tal como eu cresceram ao som da famosa música de John Williams.
Quanto a mim os três filmes de Indiana Jones, constituíam uma das melhores trilogias de sempre do Cinema (já não constituem porque deixaram de ser uma trilogia) e por isso o seu regresso era aguardado com muito entusiasmo.
O problema é que quando passamos anos e anos a ver e rever filmes que adoramos estes acabam por ter um lugar demasiado especial no nosso coração e por isso para alguns as expectativas em relação a este filme eram demasiado elevadas e muito difíceis de cumprir.
Pessoalmente nunca estive à espera que "Indiana Jones and the Kingdom of the Crystal Skull" fosse superar o que se tinha feito (tão bem) nos anos 80, fui de mente aberta e agradecido por ter a oportunidade de rever um velho amigo uma vez mais e por isso valeu a pena. Por exemplo a cena inicial em que vemos através da sua sombra Indy a pegar e colocar o chapéu na cabeça foi mágica até dá vontade de chorar.Nesta nova aventura o Doutor Henry Jones Jr. (Harrison Ford) terá de enfrentar Irina Spalko (Cate Blanchett) e o seu temível exército soviético pela posse da famosa Caveira de Cristal de Akator. Mas Indy não está sozinho, contando com a ajuda de Mutt Williams (Shia LaBeouf), da regressada Marion Ravenwood (Karen Allen) uma das suas antigas paixões e do seu velho amigo Oxley (John Hurt) que por vezes complicava mais do que ajudava.
A decisão de misturar as aventuras de Indiana Jones com alienígenas pode ter sido um risco, mas foi feito da maneira mais correcta possível jogando com as teorias que defendem que os extraterrestres tiveram influência no desenvolvimento de algumas civilizações antigas (e aqui tive de me recordar do "Stargate" e da teoria de que as pirâmides do antigo Egipto foram construídas por extraterrestres).
Além disto tudo as próprias caveiras de cristal existem de facto, agora se são verdadeiras ou não, isso é outra conversa.
Por isso todos os típicos detalhes históricos são falados no filme e o espírito das aventuras do nosso arqueólogo favorito continua lá.
Antes de mais há que fazer uma grande vénia a Harrison Ford que nos brindou com tantos personagens memoráveis e que quase esteve para não ser Indiana Jones (o Horror). Harrison Ford na casa dos sessenta anos não só regressa em grande forma, como soube envelhecer na perfeição o personagem. Sim porque Indy continua a ser ele próprio, mas as pessoas envelhecem e mudam e Ford soube alterar esses pormenores na perfeição trazendo novamente o mesmo Indiana Jones mas mais sábio, mais calmo e até mais paternal.
Shia LaBeouf, saído de um grupo de fãs de Elvis, encarna muito bem o jovem rebelde que quem sabe um dia seguirá ou não as pisadas de Indiana Jones. É sempre um prazer ver Cate Blanchett a representar e neste filme traz-nos um excelente vilão característico do estilo. Também gostei muito de rever Marion, apesar de muito provavelmente o meu filme favorito ser "O Templo Perdido" se tivesse de escolher uma mulher para regressar nesta quarta aventura seria sem dúvida Marion.Pessoalmente não fui particular fã de algum CGI utilizado em exagero nomeadamente em algumas cenas da selva, eu gostava daquele aspecto mais clássico dos filmes anteriores, gostava que o tivessem mantido, mas os tempos são outros.
Em relação ao que se tem falado no que toca ao exagero de algumas cenas, elas de facto existem, o que é perfeitamente normal pois os filmes de Indiana Jones nunca primaram pela autenticidade e há cenas que por mais irreais que sejam são Indiana Jones no seu melhor e para comprovar isso não há nada como rever a trilogia original (que é o que eu tenho vontade de fazer agora mesmo).
Resumindo, este é para mim o pior filme da saga, considero sem dúvida os outros três melhores, mas não é por isso que deixa de ser um bom filme, que diverte como só Indiana sabe e se me questionar sobre quando foi a última vez que me diverti tanto a ver um filme de aventuras sei que não vou saber responder, ou seja, Spielberg e companhia independentemente de já terem feito melhor, continuam a saber o que fazem.
Podia dizer várias coisas para aconselhar ou não a ir ver este filme, mas a verdade é que seja excelente ou péssimo para quem é fã deste arqueólogo todas as opiniões vão ser indiferentes pois vão ter de ir ver este filme de qualquer das maneiras. Por isso a única coisa que posso dizer é juntem um grupo de amigos que vibra com as aventuras de Indiana Jones e divirtam-se pois foi exactamente o que eu fiz.

10 comentários:

crucios disse...

Eu gostei, achei um bom final para o Indiana, continuo a achar que o Templo Perdido foi o pior de todos...

Red Dust disse...

Quem é fã da trilogia deve mesmo ir ver para, depois, tirar as suas conclusões. Pelo que verifico há uma grande divisão: desde os que gostaram até quem aponte ser um sacrilégio aos filmes iniciais.

Eu gostei. Também não levava expectativas elevadas. Colocando de lado a parte técnica, o filme não deslustra em relação aos anteriores. Além de que foram duas horas bem passadas.

Abraço.

Menphis disse...

No fundo o Indiana Jones acaba por ser entretenimento, mesmo que tenha coisas irreais e é nesse sentido que se tem de ver o filme. Particularmente, nunca gostei lá muito do Indiana, desde que vi um avião a desfazer-se em pó e desaparecer :), mas acho que quem gosta muito não deve levar a mal se tiver coisas irreais, sempre foi coisas do Indiana. É puro entretenimento , é por isso que o cinema é bonito.

looT disse...

Concordo Menphis, aliás estive a pensar e só para esclarecer: o tipo de cenas irreais que falava não têm nada a ver com homens que arrancam corações e arcas perdidas isso são lendas tornadas vivas, falava mais nas peripécias impossíveis que o Indy passa fisicamente, mas vendo bem quem sou eu para dizer que a cena do ramo é mais excessiva que a das cataratas, no fundo é divertimento Indy faz parte deste mundo fantástico e mais importante do que isso não é por essa cena ou da do frigorífico que o filme vai ser melhor ou pior e como agora acho que não há necessidade sequer de as salientar em relação a outras, vou alterar isso no meu texto.

Red depois da poeira baixar acho que o filme poderá ser visto com olhos diferentes por alguns e até ganhar novo culto em dvd, quem sabe?

De resto apenas quero dizer ao Crucios que o Templo Perdido é o filme mais negro desta saga e por isso é que eu gosto tanto dele :D

Abraço a todos

Anónimo disse...

Adorei seu post!

Pessoal, essa eu tenho que recomendar, dois sites interessantíssimos: www.meus3desejos.com.br e www.videoflix.com.br.

Abs.

DC disse...

Stargate meets Tarzan meets E.T. meets Star Wars (cena do I'm your father xD ) meets Alien meets Livro da Selva lol
Ok esotu a ser mauzinho mas não podia deixar passar esta piadola sobre o filme. Foi muito divertido mas acho que prefiro os outros. Têm outra mistica.

looT disse...

eheh, eu também fiz as minhas piadas ao sair e gostei, rir faz bem à alma :P

Não sei se é outra mística, mas concordo prefiro os outros três.

Bongop disse...

Ainda não fui por falta de tempo, mas espero ir durante esta semana!

looT disse...

Este ainda se deve manter um bom tempo no cinema, espero que tenhas oportunidade pois é daqueles imperdíveis para quem cresceu com Indiana Jones.

halotuga disse...

Já fui ver e gostei. Da parte técnica e tambem da história. O problema é que agora um filme para nos surpreender, do ponto de vista técnico, tem de ser claramente inovador, coisa que os 3 primeiros Indianas o foram e este último já não consegue ser.