domingo, dezembro 09, 2007

O Retrato de Dorian Gray

Quem nunca ouviu falar de Dorian Gray?
De certeza que já todos nem que seja por breves momentos ou a partir de outras obras já ouviram falar daquele que possuía um quadro que envelhecia no seu lugar. Mas a estória de Dorian Gray é muito mais bela e perigosa do que isso e este quadro torna-se no sentido mais literal possível, o espelho da sua alma.
Apesar da estória se centrar em Dorian Gray existem outros dois homens cuja influência na vida de Gray é fundamental e é com eles que esta obra se inicia. Falo de Basil Hallward, personagem por quem nutro um grande carinho, é um dos bem intencionados e o eterno apaixonado por Dorian, é ele o famoso pintor, do mais famoso ainda, quadro de Dorian Gray. O outro personagem, arrisco a dizer o meu preferido, é Lord Henry, um mestre com as palavras, concordemos ou não com o que ele diz é absolutamente maravilhoso ouvir os seus debates, com uma resposta sempre pronta na ponta da língua, foi ele o primeiro a captar a atenção de Dorian sobre a condição finita da sua juventude.
Se calhar antes de continuar é melhor realçar que Dorian Gray é um dos mais belos homens de Inglaterra dotado de uma juventude invejável por qualquer um.
Para Basil, Dorian é a sua maior inspiração nunca antes o seu trabalho foi tão bom até o conhecer e nunca o seu trabalho voltará a sê-lo depois de as suas vidas se separarem. No mítico dia em que Basil pinta aquele que viria a ser, sem ele saber, o último retrato de Dorian, é o mesmo dia em que Lord Henry discute com Dorian o terrível facto de que um dia a sua beleza terminará, rugas irão surgir, o brilho do seu cabelo irá lentamente desaparecer e as próprias acções da sua vida deixarão cicatrizes no seu corpo.
Quando Basil termina finalmente o quadro, é uma réplica perfeita do seu modelo, tão perfeita que é fruto de inveja por parte do mesmo. É neste momento que Dorian profere as palavras que para sempre mudarão a sua vida "Oh, se ao menos pudesse ser ao contrário! Se fosse o retrato que mudasse, e eu pudesse continuar sempre como sou agora!"
Durante uns tempos Dorian vai afastando-se de Basil e mantendo uma maior ligação com Lord Henry, fascinado com a sua pessoa.
Num futuro próximo, Dorian tem tempo de conhecer o seu primeiro grande amor, Sybil Vane. Inundado por uma enorme paixão, pensa que encontrou a mulher com quem quer casar, até chegar aquele fatídico dia em que de uma forma cruel e fria lhe quebra o coração. É após esta acção que ele se apercebe pela primeira vez em uma alteração no seu quadro. Devido ao seu acto cruel, que resultaria em uma terrível tragédia, a expressão da sua cara estava diferente, havia uma marca de crueldade nos seus lábios.
Vários sentimentos diferentes o assombraram nesse dia fatal, mas eventualmente Dorian decide usar o quadro como um espelho da sua alma, ele iria carregar em seu lugar não apenas o fardo da idade, mas também as marcas dos seus pecados, as marcas da sua vida.
Ao longo desta estória vamos então acompanhando a pecaminosa e tentadora vida de Dorian Gray, assistindo capítulo a capítulo à sua evolução como personagem.
Oscar Wilde escreve maravilhosamente bem, dotado de uma enorme sensualidade e sensibilidade este é sem dúvida um dos livros que mais gostei até hoje e durante a sua leitura desejava que este jamais terminasse, desejava poder acompanhar Dorian em muitas mais aventuras ao mesmo tempo em que eu iria vivendo as minhas.
Mas o final estava iminente e terminou majestosamente como outra coisa não seria de esperar, restam-me agora as memórias a ecoar na minha mente.
Alguém me disse para ter cuidado com "O Retrato de Dorian Gray" pois era um livro perigoso. Mas afinal de contas os livros perigosos não são os melhores?

17 comentários:

Filipa disse...

De um lado imagens... de outro palavras que incitam a ler uma das figuras mais controversas da literatura mundial :)

Sim, os livros perigosos são de facto os melhores porque obrigam a pensar! É um requisito que muita gente simplesmente não tem :p

Beijinhos

Maria del Sol disse...

Gosto muito da escrita de Oscar Wilde e curiosamente ainda há pouco tempo, na sessão de encerramento do festival Queer Lisboa, vi uma adaptação contemporânea para cinema deste romance. Se conseguires encontrá-la em dvd (não deve ser fácil a curto prazo) vale a pena vê-la ;)

Cataclismo Cerebral disse...

Tenho mesmo de me dedicar a Oscar Wilde. Minha nossa, que falha a minha :S Sim, os livros perigosos são os mais fascinantes porque provocam o nosso intelecto.

Abraço

_Loot_ disse...

Filipa: Apenas conhecia um pequeno conto dele o "The Happy Prince" finalmente este ano comprei este livro que já queria ler há imenso tempo é magnífico :)

Maria: Adaptação contemporânea encontrei esta no imdb, foi este que viste?

http://imdb.com/title/tt0435669/

Ah e não ligues à nota no imdb que há lá filmes muito bons com notas muito baixas, espero que seja o caso deste.

Cataclismo: Eu encontrei-o a bom preço na Feira do Livro, e é um livro que aconselho vivamente adorei-o do princípio ao fim, entrou logo para a minha lista de favoritos :)

Izzi disse...

Mais um livro e um autor na lista de espera...tão pouco tempo para tanta literatura...Acho que é mais um lá para as férias do Verão ;)

Maria del Sol disse...

Sim, é esse o filme. Não é propriamente uma obra prima, mas merece mais que a pontuação a que os leitores do imdb lhe deram. É uma interpretação ousada e actual da mensagem de Wilde, e o protagonista tem uma boa prestação.

_Loot_ disse...

Izzi: Mas ainda falta tanto para as férias do verão, será que resistes ao chamamento de Dorian Gray até lá :P

Maria: Eu gostei da adaptação contemporânea do Romeu e Julieta, e fiquei bastante curioso com esta, mas como disseste não prevejo que seja fácil de encontrar, vou fazer uma pesquisa ;)

Reparei que o actor principal é o miúdo do Olha quem fala 3.

Menphis_Child disse...

Que livro maravilhoso. Apesar de já o ter lido à algum tempo, é um dos livros mais bonitos que já li, assim como a obra de Óscar Wilde. Um dia lá vou eu relê-lo, merece novas interpretações.

Izzi disse...

Loot, acho que vai ter de ser, porque além dos belos livros que tenho de ler para a faculdade, estou ainda a acabar de ler a Ilíada e queria ver se acaba de ler o Erro de Descartes, que está por acabar há já alguns anos...ainda tenho de ver se acabo de ler a cruzada dos irmãos karamazóv (ainda só li o primeiro volume). Como vê há muita coisa ainda antes do Retrato de Dorian Gray, que provavelmente vou comprar na língua original.

_Loot_ disse...

Menphis: Eu agora daqui a uns tempos quero ver se compro uma edição em Original para ler a escrita pura de Wilde, vou aproveitar que ele é Inglês pois se fosse japonês já não era possível.

Izzi: Não sei se já te perguntei isto porque tenho ideia que o fiz a alguém mas a tua versão da Íliada é a traduzida por Frederico Lourenço? Acho que é a única versão Portuguesa que mantém o formato em poesia do original
Eu tenho a Odisseia dele.

Carla disse...

E sabias que na adaptação para cinema de 1945, o quadro foi pintado por Medina, grande pintor português? :)
Revi há uns tempos na Cinemateca.

_Loot_ disse...

Não fazia ideia, não conheço nada de Dorian Gray em cinema. O filme vale a pena?

bjs

Carla disse...

Vale sim, eu gostei muito, mas eu gosto de um bom clássico :)

Espreita:
http://imdb.com/title/tt0037988/

Beijos

Anónimo disse...

Li este livro quando tinha 20 anos, e agora to lendo de novo com 35, quando tinha 20 achava que era muito legal e dava um certo ar de intelectualidade, usava as palavras do Oscar Wild para falar com as meninas e enganá-las ate conseguir o que eu queria, e devo admitir que este livro é um bom manual para se viver na base do (toque pro foda-se), tem um ar de sensibilidade e sensualidade inpressionante, alem de ser um bom retrato dos custumes reqwuintados da época vitoriana, aprendi a apreciar um bom chá, fiz curso de pintura em tela, e aprendi a beber dry martini, na verdade vc adquirindo estres habitos, fica um cara mais atraente pasra as menionas e dai pra cama é só questão de paciencia e trabalho arduo, na base do trololo do velho Oscar W.. Hoje ja to achando o lovro uma chatura, tem um mes que to pelejando para ler e não termino.Na to achando estes livro uma viadagem só, aquele depravado do Oscar W. tinha de ser preso mesmo, e tinha de ser cstrado também, ele deve de ter sido a primeira drag quuen do mundo.Nas mesma linha indico pra o pessoal ler "Lord Biron"
Abraços.
rai_siberiano@hotmail.com

looT disse...

Bem por onde começar?
Do futuro nada sei daqui a alguns anos de certeza que voltarei a lê-lo e aí poderei confirmar se concordo ou não contigo sobre se o livro é chato. Mas aposto que não vai ser.

Adorei o livro e é muito mais para mim do que um manual de engate. É perigoso sim e aquele Lord Henry é um personagem soberbo e que desperta o nosso lado "negro" e enganador. Mas nunca o usei para os mesmo fins que tu.
No entanto não tenho dúvidas que a arte, a sensibilidade e sensualidade bem usadas podem ser armas mortíferas nesse campo.
Mas não te chateias com o Oscar Wilde apesar de tudo dá-me a sensação que te ensinou muito ;)

Cumprimentos

Anónimo disse...

oi!

eu li o livro e a-d-o-r-e-i! não h´apalavras suficientes para o descrever, é simplesmente fantástico.

era pra dizer que estão a fazer uma versão mais recente do filme, creio que começaram as filmagens em Agosto deste ano. No +apel de Dorian está o actor Ben Barnes (faz o papel de Caspian no 2º filme das Crónicas de Nárnia) e no papel de Henry está o actor Colin Firth (entra em 'O Amor Acontece', 'Orgulho e Preconceito' - a série -, 'Valmont', 'Terapia de Amor', mais recentemente no 'Mamma Mia!' - neste momento não me estou a lembrar de mais filmes onde ele entra... --')

Bjoooooo

looT disse...

Olá :)

Sim conheço o filme em questão e já foram divulgados alguns posters.
Por acaso esqueci-me completamente de falar dele por aqui. Obrigado pela recordação.
Vamos ver o que vai sair desse filme :P
Quanto ao livro esse é sublime ;)

bjs