sábado, março 10, 2007

Ghost Rider (O Filme)


Existe uma lenda que conta a estória de um homem que desafiou o seu destino. Alguém que quando soube que estavam a fazer este filme, entrou em contacto com as pessoas envolvidas e lhes pediu uma oportunidade, a de o deixarem representar Johnny Blaze, um dos seus heróis. Para provar a sua dedicação e paixão a este projecto, levantou a manga e mostrou a sua tatuagem do Ghost Rider!
O problema com as lendas é que algumas são verdadeiras.
Segundo me contaram foi assim que Nicholas Cage entrou neste projecto, um fã incondicional desta personagem que durante as filmagens teve de ter a sua tatuagem escondida para poder interpretar esse mesmo personagem, irónico não?
Ao contrário da maior parte dos super heróis da Marvel, a origem de Ghost Rider entra no campo do místico. Não temos experiências radioactivas (agora alteradas para manipulações genéticas nos filmes, graças à evolução do conhecimento científico), nem mutações no código genético. Esta é a estória de um homem que fez um acordo com Mefistófeles e perdeu.
A estória de Johnny Blaze está com algumas alterações quando comparada com a de banda desenhada, a começar na sua origem, algo bastante comum nestes filmes, nomeadamente a parte do contrato onde tornam a personagem mais inocente.
Mas o problema de "Ghost Rider" não está nestas alterações, aliás um filme destes não tem de seguir à letra o que acontece nos comics para ser bom.


Johnny Blaze tem um espetáculo de acobracias de motas juntamente com o seu pai. Um dia quando descobre que ele está a morrer com cancro "faz" um acordo com Mefistófeles e vende a sua alma em troca de uma cura. No dia seguinte o seu pai está de facto curado do cancro, mas morre logo de seguida num acidente durante o seu espetáculo de mota, deixando Johnny sem pai e amaldiçoado.
Passado alguns anos Mefistófeles regressa para reclamar a sua dívida, ele quer a alma de Johnny Blaze para ser o seu novo Ghost Rider, e a sua missão será nada mais nada menos do que destruir Blackheart, o filho de Mefistófeles que quer controlar o Mundo.
Infelizmente "Ghost Rider" acaba por ser apenas mais uma adaptação de BD ao grande ecrã.
O filme tem bastante cenas cliché desnecessárias e o próprio argumento fica muito aquém do que se poderia fazer com este esqueleto motoqueiro. No entanto a maior falha de "Ghost Rider" na minha opinião está no simples facto de as piadas não resultarem.
Mesmo assim não é das piores adaptações da Marvel ao cinema, encontrando-se acima de um Daredevil, mas muito abaixo de uns X-Men (excepto o 3).

9 comentários:

_lamy_ disse...

tb fui ver...
é um filme pipoca!! Lolol

_Loot_ disse...

Sim, podia ser melhor, mas também podia ser pior. Sempre dá para ver uma caveira a arder.

gonn1000 disse...

Hum, acho que não vou pagar para ver este...

_Loot_ disse...

Com tantos filmes interessantes em exibição e outros quase a estrear acho que este é dispensável.
Eu fui ver porque é o Ghost Rider e conheço o personagem desde miúdo.

_Loot_ disse...

Relembraram-me agora que o realizador deste filme é o mesmo que fez o Daredevil. Agora sim faz sentido.

Bárbara Novo disse...

"Excepto o 3"? Ainda não vi esse The Last Stand, mas pelas conversas tinha a sensação que era bastante bom, e como eu gostei bastante dos outros dois..
Ainda não vi o Ghost, mas já estou a ver que as opiniões estão todas a cair para o mesmo lado.. É pena, tinha tanta expectativa!

Bjs!

_Loot_ disse...

Com essa frase pretendia apenas distanciar o 3 dos outros dois, porque o acho um filme inferior.
Não souberam explorar a imensidão de personagens que criaram, há umas falhas na estória da Fénix quando comparadas com o 2º filme e em termos de humor os outros são melhores.
Fiquei desiludido com o x men 3, o Singer habituou-me mal, mas mesmo assim é muito melhor que o ghost rider, por isso se calhar nem fez sentido ter posto o "excepto o 3".

inês disse...

Em três Palavras...MAU...MAU...MAU! :D

alexandre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.